Últimas

Deputado do PL é flagrado com maços de dinheiro de desvio de emendas parlamentares, diz PF


Imagens gravadas pela Polícia Federal flagraram o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL-MA) carregando caixas com maços de dinheiro em seu escritório, em São Luís (MA), que seriam provenientes de desvios de emendas parlamentares. A ação controlada foi realizada com autorização do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski, em outubro do ano passado, e fez parte da Operação Descalabro. As imagens foram reveladas ontem pela revista “Crusoé”.

Maranhãozinho participou, na última quarta-feira, da cerimônia de filiação do presidente Jair Bolsonaro ao PL e circulou no evento na companhia do chefe da legenda, o ex-deputado Valdemar Costa Neto, que foi condenado no mensalão.

Segundo as investigações da PF, o esquema funcionaria da seguinte forma: prefeituras do Maranhão beneficiadas com o repasse de emendas contratariam empresas ligadas a Maranhãozinho para efetuar o desvio dos recursos.

A PF instalou câmeras e equipamentos de escuta no escritório do deputado para fazer o monitoramento. Nas escutas, os investigadores captaram diálogos sobre entregas de dinheiro. Em um das conversas, reveladas pela “Crusoé”, o deputado entrega uma caixa a um aliado e afirma: “Tem duzentos e cinquenta aí”.

30 investigados

Além disso, na última quinta-feira, a PF deflagrou outra operação contra o parlamentar, desta vez para investigar desvios na prefeitura de Zé Doca, cidade da qual sua irmã, Josinha Cunha (PL), é prefeita. Maranhãozinho foi novamente alvo de mandados de busca.

O gabinete de Maranhãozinho negou irregularidades e disse que os valores em espécie estavam declarados à Receita. Nas redes sociais, o deputado afirmou encarar com “naturalidade e tranquilidade” a investigação: “Tudo será devidamente esclarecido pela própria Justiça”, disse.

A Polícia Federal mantém outras investigações sobre desvios em emendas parlamentares. O colunista Lauro Jardim informou ontem que outro inquérito da PF, este sobre as emendas de relator que compõem o chamado “orçamento secreto” cita cerca de 30 parlamentares que podem ser alvo das investigações. Os nomes estão sob sigilo.

Via PE Notícias

Postar um comentário

Comente!

Postagem Anterior Próxima Postagem

Petrolândia Notícias