Petrolândia Notícias: Três cidades registram surto da doença que está provocando lesões e coceira na pele dos pacientes

CLIMAGEM

CLIMAGEM















terça-feira, 23 de novembro de 2021

Três cidades registram surto da doença que está provocando lesões e coceira na pele dos pacientes

 Mais um município do Grande Recife registrou casos da doença que está provocando lesões e coceira na pele dos pacientes. A Prefeitura do Paulista confirmou, ontem, cinco casos, registrados entre a última sexta-feira e o domingo. A doença ainda é um mistério para as autoridades sanitárias, pesquisadores e médicos, que investigam o que pode estar por trás desses sinais e sintomas. Até a noite de ontem, oficialmente, Pernambuco somou 184 notificações relacionadas ao surto.

Em Paulista, os três primeiros pacientes são do sexo masculino. Um tem 17 anos e os outros têm 26. Segundo a gestão municipal, os sinais começaram na primeira metade de novembro. Os três foram atendimentos na Prontoclínica Torres Galvão, na área central da cidade. Não há indícios de que os pacientes tenham apresentado piora noturna e outros sinais e sintomas.

Outros dois pacientes, identificados no último domingo, estão sendo monitorados. Segundo a Prefeitura, ambos estão sendo triados para a notificação ao Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS-PE). Não foram divulgados detalhes sobre eles.

Os primeiros casos da doença misteriosa começaram a ser notificados em outubro deste ano no Recife. Até o momento, 117 pessoas com idades entre dois e 96 anos foram identificadas com sintomas semelhantes na capital pernambucana. Não há registro de hospitalização nem de agravamento dos casos. Em Camaragibe, pelo menos 62 pessoas manifestaram o mesmo quadro.

A Vigilância em Saúde de Camaragibe está realizando um estudo clínico epidemiológico com o levantamento de informações acerca de diagnósticos, caso a caso, dos pacientes atendidos Hospital Aristeu Chaves. Em paralelo, outra pesquisa busca identificar os causadores do surto. A gestão acredita em possíveis insetos ou artrópodes. “A água da rede de abastecimento nas residências também está sendo coletada para análises. Ressaltamos que nossas unidades básicas de saúde realizam testes de covid-19 e sorológico para arboviroses”, informou, em nota, a Prefeitura.

Na última sexta-feira, representantes da Secretaria Executiva de Vigilância em Saúde do Recife, da Secretaria Estadual de Saúde e do Instituto Aggeu Magalhães, unidade da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em Pernambuco, além de um médico infectologista e de um médico epidemiologista, estiveram reunidos para discutir os casos, mas não chegaram a uma conclusão.

O médico infectologista Demétrius Montenegro, chefe do setor de doenças infectocontagiosas do Hospital Universitário Oswaldo Cruz, explicou que o mais intrigante é que os casos notificados não apresentam um padrão. “A variabilidade das lesões é grande. Mais de 80% das pessoas acometidas apresentam apenas as lesões de pele e a coceira. Uma pequena parcela também relata febre. Isso pode levar a uma superposição de diagnóstico, o que dificulta a investigação”.

Via PE Notícia

Nenhum comentário: