Petrolândia Notícias: PM de Pernambuco troca comando e afasta oficiais três dias depois de ação violenta durante protesto no Recife

CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

quarta-feira, 2 de junho de 2021

PM de Pernambuco troca comando e afasta oficiais três dias depois de ação violenta durante protesto no Recife

O governo de Pernambuco anunciou, nesta terça-feira (1º), a mudança no comando da Polícia Militar. A exoneração do coronel Vanildo Maranhão (foto), ocorreu três dias depois de uma ação violenta de PMs que deixou feridos, presos e provocou reação sobre a conduta da tropa, durante protestos contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), no sábado (29), no Centro do Recife.

O coronel Vanildo Maranhão, segundo o governo, foi substituído pelo coronel José Roberto Santana. O oficial, que ocupava o cargo de diretor de Planejamento Operacional da PM, será nomeado na quarta-feira (02). O estado também afastou mais dois oficiais, além dos cinco já punidos no dia da operação.

Por meio de nota, o estado informou que “o governador Paulo Câmara (PSB) “aceitou o pedido de exoneração” do comandante da Polícia Militar, Vanildo Maranhão, feito no início da noite desta terça-feira”.

Em pronunciamento pela internet, Câmara disse que analisou “incessantemente imagens, relatos e vídeos de todo o ocorrido na manifestação do último sábado”.

Diante disso, o governador afirmou que conversou com o secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, e com o comandante da PM sobre a posição “de que aquela ação não condiz com as tradições e valores da Polícia Militar de Pernambuco, uma instituição quase bicentenária e de tantos serviços prestados”.

O chefe do Executivo também agradeceu ao coronel Vanildo “pelos anos de dedicação ao Pacto pela Vida e ao governo”.

Afirmou, ainda, que conta com o trabalho do coronel Roberto “para que tenhamos sempre uma polícia dura contra o crime, mas que seja guardiã dos direitos humanos e da cidadania”.

“Não uma polícia que atire no rosto das pessoas ou que impeça alguém ferido de ser socorrido, mas uma polícia que represente os anseios de uma sociedade pacífica, plural e democrática. Esses princípios são inegociáveis e deles jamais vamos abrir mão”,

Sobre os procedimentos abertos para apurar a conduta dos PMs, o governo disse que “as investigações sobre as responsabilidades das agressões praticadas por policiais militares durante a manifestação ocorrida no último sábado no centro do Recife continuam”.  

Via PE Notícias