Petrolândia Notícias: ‘Glória a Jesus’, diz bombeiro que sobreviveu após ser tomado por chamas em incêndio

CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

segunda-feira, 10 de maio de 2021

‘Glória a Jesus’, diz bombeiro que sobreviveu após ser tomado por chamas em incêndio

Foto: reprodução/Associação Evangelística Billy Graham/Pureflix

A história de um bombeiro que acidentalmente caiu dentro das chamas ao fazer o reconhecimento do local para iniciar o combate às chamas já foi retratada até em filme, mas continua impactando pessoas por conta do milagre de sua sobrevivência.

Cheyane Caldwell, um capitão do Corpo de Bombeiros de Los Angeles, esteve muito próximo da morte em um incêndio em 2007 que, depois, ficou conhecido como o “incêndio de Adams”. Ele recontou sua história recentemente ao podcast Jesus Is All We Need (“Jesus é tudo que precisamos”, em tradução livre).

O apresentador do podcast é Jason Sautel, outro bombeiro que passou 22 anos combatendo incêndios e agora se dedica a compartilhar histórias inspiradoras, de acordo com informações do portal The Christian Post.

Caldwell falou, na conversa com Sautel, que do ponto de vista lógico, ele não deveria ter sobrevivido após subir ao telhado de um prédio em chamas e cair direto no fogo depois que a cobertura cedeu sob seus pés.

“Eu não deveria ter sobrevivido de jeito nenhum. Ninguém esperava que eu sobrevivesse”, afirmou Caldwell ao lembrar do dia 24 de julho de 2007. “Eu pulei essa parede de divisão e eu caí do deck no incêndio do andar abaixo. Desci cerca quatro metros dentro da estrutura. Uma bola de fogo saiu do buraco que eu criei, então você pode imaginar o que estava debaixo de mim”, recapitulou o bombeiro.

Enquanto as chamas continuavam a engolfar o prédio, Caldwell se lembra de acordar no chão em meio a um calor sufocante, com as chamas se aproximando rapidamente e sem saída imediata: “Pensei três coisas claras como o dia: ‘Tudo bem, Senhor, estou aqui sozinho’. Em segundo lugar, ‘Senhor, é isso. Estou pronto’; e por último, minha vida simplesmente passou diante de mim como em um DVD acelerado”.

A imensa dor que Caldwell sentiu nesses momentos era insuportável, enquanto ele comparava a intensidade do calor a “colocar as mãos no forno e apenas deixá-las queimar”: “Não consegui tirar as mãos do forno. Meus braços, minhas mãos, meu rosto, minha nuca, minha barriga. Este foi o inferno na Terra”, acrescentou.

A saída
O bombeiro se convenceu que aqueles momentos seriam os seus últimos, mas hoje sabe que Deus tinha outros planos. Enquanto os momentos de desafio à morte se prolongavam durante 7 minutos e 10 segundos excruciantes dentro do incêndio, o capitão que comanda a unidade de Caldwell à época tomou uma decisão surpreendente.

Ele instruiu os bombeiros no telhado para colocarem uma mangueira no buraco e jogar água lá dentro. O capitão acreditava que Caldwell estava morto, mas queria que sua família pudesse “ter um funeral de caixão aberto”. Esse ato de misericórdia, porém, acabou salvando vidas.

“O que ele fez foi como água do céu”, comentou Caldwell, observando que a intensa queimação que sentiu foi imediatamente “interrompida”. Contra todas as probabilidades, o bombeiro foi resgatado, sobreviveu e voltou ao trabalho em 10 meses. Desde então, ele compartilhou sua história com centenas de milhares de pessoas por meio de entrevistas e um filme intitulado Heaven, produzido pela Associação Evangelística Billy Graham e disponível na Pureflix.

Caldwell glorifica a Deus por sua sobrevivência, explicando que “milagres continuaram acontecendo”, uma vez que a queda do deck poderia ter sido mortal devido a pontas afiadas em algumas das estruturas internas, mas ele caiu com distância suficiente para não ser ferido.

“60 centímetros para a esquerda, eu teria sido empalado; 90 centímetros para a direita, eu teria caído direto no concreto abaixo. Mas Deus me fez pisar bem onde pisei. Eu realmente acredito que ele me segurou na palma da mão… é real, Ele nos ama”, testemunhou o bombeiro.

Outro personagem importante nessa história é o então capitão que comandava a unidade de Caldwell. Ele não era cristão à época, mas relatou ao colega que sentiu como se Deus dissesse a Ele para fazer aquele telefonema dando a ordem para jogar a mangueira pelo buraco, segundo a emissora Christian Broadcasting Network (CBN News).

O capitão explicou mais tarde: “Era como se Deus estivesse falando comigo … Deus me disse para pegar esta mangueira e colocá-la no buraco”, contou Caldwell, que resumiu seu testemunho dizendo que qualquer pessoa em dificuldade pode obter ajuda da mesma forma que ele recebeu: “A oração funciona. Não há razão para que eu tenha sobrevivido, mas eu dou toda a glória ao meu Senhor e Salvador Jesus Cristo pelo que ele fez naquele dia. Não há sorte envolvida, não há coincidência – é tudo providência, e providência é definida como a mão de Deus trabalhando”.

Via Gospel Mais