Petrolândia Notícias: ‘Fui abraçada pelo assassino’, diz mãe do médico morto na BA; suspeito também é médico e ‘amigo’ da vítima

CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

sábado, 29 de maio de 2021

‘Fui abraçada pelo assassino’, diz mãe do médico morto na BA; suspeito também é médico e ‘amigo’ da vítima


Preso suspeito de matar médico foi o amigo que registrou desaparecimento na delegacia — Foto: Aldo Matos / Acorda Cidade

O suspeito de matar o médico Andrade Lopes Santana, de 32 anos, que estava desaparecido desde o dia 24 de maio, e foi encontrado amarrado a uma âncora, era o amigo da vítima, que registrou o desaparecimento na delegacia.

Segundo informações da delegacia, o suspeito também é médico e chegou a receber os familiares da vítima, que moram no Acre, quando eles chegaram na Bahia.

Ele não teve a identidade divulgada, e foi preso por equipes da 1ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Feira) e da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Feira de Santana, enquanto estava em casa no bairro da Santa Mônica. A polícia informou que a motivação do crime está sendo apurada.

Ainda segundo a polícia, o suspeito e a vítima tinham combinado de andar de moto aquática. A versão apontada pelo colega de Andrade na delegacia era a de que o amigo tinha comentado que sairia para comprar a moto. Essa versão foi descartada.

Uma moto aquática foi encontrada no condomínio onde o suspeito foi preso, no início da tarde desta sexta, em Feira de Santana, a 100 km de Salvador.

A Polícia Civil confirmou que o corpo encontrado no Rio Jacuípe, em São Gonçalo dos Campos na manhã desta sexta-feira (28), é do médico Andrade Lopes Santana.

O corpo de Andrade foi encontrado no Rio Jacuípe, amarrado a uma âncora. Até então, a polícia não tinha confirmado que era do médico, mas informou que o corpo tem características semelhantes à Andrade.

O médico Andrade Lopes Santana, estava desaparecido desde o dia 24 de maio, quando saiu de casa em direção à cidade de Feira de Santana — Foto: Reprodução/TV Subaé

Desaparecimento

Andrade havia desaparecido na segunda-feira (24), depois de sair de Araci, a 220 km de Salvador, com destino a Feira de Santana. Natural do Acre, o médico se mudou para à Bahia em 2016, para exercer a medicina.

Ele saiu de casa sozinho, pouco depois de meio-dia de segunda, para comprar uma moto aquática e encontrar com um amigo, no Rio Jacuípe, em Feira de Santana. O amigo disse que ele chegou a enviar uma mensagem que dizia que tinha entrado na cidade. Desde então, não foi mais visto e nem deu notícias.

O veículo dirigido pelo médico foi achado por policiais rodoviários na região de Conceição do Jacuípe, na BR-101, no mesmo dia em que ele desapareceu. O carro estava ao lado de um barranco, trancado e sem marcas de acidente.

As informações foram dadas por amigos, que procuraram a polícia, pois o médico não tinha parentes na Bahia. O caso foi registrado na 2ª Delegacia de Feira de Santana, pelo amigo de Andrade.

‘Eu fui abraçada pelo assassino, mataram meu filho de joelhos’, diz mãe do médico Andrade Santana. Foto: Aldo Matos/Acorda Cidade | Familiares do médico no DPT


‘Eu fui abraçada pelo assassino, mataram meu filho de joelhos’, diz mãe do médico Andrade Santana

Os familiares do médico estiveram no Departamento de Polícia Técnica de Feira de Santana (DPT), na tarde desta sexta-feira (28) para fazer o reconhecimento do corpo. Um médico formado na Bolívia, amigo da vítima, foi preso no bairro Santa Mônica, em Feira de Santana.

A mãe de Dr. Andrade, Domitila Lopes, que saiu do Acre para acompanhar as investigações sobre o desaparecimento do filho, disse ao Acorda Cidade, que estava muito triste com e que foi abraçada pelo suspeito. Ela disse que ele chegou a ir com a irmã de Andrade ao local onde o carro dele foi encontrado e ficava apontando pessoas como suspeitas.

“Isso é um absurdo né? É muito triste. A gente não merece isso. Eu fui abraçada pelo assassino, ele me confortava, chorou comigo, sentiu a minha dor junto comigo. Isto é muito triste. Ninguém merece isso, eu estou arrasada com isso. Eu reconheci o corpo do meu filho pelos pés porque o resto estava deformado. Mataram meu filho de joelhos. Eu creio que meu filho teve tempo de se consertar com Deus. Meu filho tinha um projeto de ajudar os pobres, ele trabalhava na assistência social, ele era um menino de ouro. Era um menino bom, não merecia ter morrido assim. Eu estou arrasada, eu estou tendo conforto das orações do Brasil, que está sentindo a minha dor junto comigo. Meu filho foi traído confiou no amigo. Se dizia doutor não sei se é doutor dava plantão e tudo e fazia uma coisa dessas com um ser humano tão bom”, desabafou.

Foto: Aldo Matos/Acorda Cidade

Domitila disse que o suspeito tentava despistar a participação dele no crime e planejava fugir para Londres.

“Ele começou a culpar os amigos dele. Olha, cuidado com fulano porque fulano não tem uma cabeça legal, e ficava jogando um contra o outro, tentando maquiar né. Maquiar a participação dele no crime. Graças à oração do Brasil, Deus permitiu que viesse à tona. Minha filha estava perto, foi junto com ele ver onde estava o carro, ele disse que estava falando com a mãe dele sobre Londres, ele já estava querendo ir embora do Brasil. Deus não permitiu. Ele vai pagar por tudo isso. Se você é cristão tem que perdoar né, mas a pena dele, ele vai ter que pagar né”, disse a mãe da vítima ao Acorda Cidade.

Ela disse ainda que os amigos dele farão uma homenagem, e disse que Deus deu forças para ela reconhecer o corpo, porque poderia se arrepender depois de não ter visto o filho pela última vez.

O médico Andrade Lopes Santana, estava desaparecido desde o dia 24 de maio, quando saiu de casa em direção à cidade de Feira de Santana — Foto: Reprodução/TV Subaé. Foto: Reprodução/Redes Sociais

“Os médicos querem fazer uma homenagem primeiro, vamos fazer esta homenagem, pois meu filho tinha muitos amigos. O corpo vai para o Acre, mas não sabemos quando vai para o Acre. Não posso te afirmar agora estou sem condições psicológicas de confirmar nada. Eu fiz questão de ver o corpo do meu filho daquele jeito porque é melhor você ter se arrependido de ter visto do que se arrepender de não ter visto. Eu não vou ter outra oportunidade, então, eu fui forte com a graça de Deus e consegui ver o corpo do meu filho. Creio que meu filho está com Deus nesta hora. A polícia disse que ele morreu de joelhos com tiro na nuca, disse que arrastaram ele, o joelho estava rasgado. Ele deve ter resistido muito, ele era um menino que não aceitava coisa errada. Creio que ele esteja com Jesus agora. Todo mundo dorme e eu não consigo dormir”, concluiu.

Andrade Santana era natural do Acre e morava em Araci, onde trabalhava há mais de três anos. Tinha um projeto social e muitos amigos.

Via PA4/Ozildo Alves