Petrolândia Notícias: Bolsonaro rebate ministro e afirma “2022 terá voto impresso e ponto final”

CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

sexta-feira, 7 de maio de 2021

Bolsonaro rebate ministro e afirma “2022 terá voto impresso e ponto final”

Nesta quinta-feira (06), o presidente, sem partido, Jair Bolsonaro criticou, a fala do ministro Luís Roberto Barroso sobre a implementação do voto impresso no Brasil. O Ministro Barroso disse que o método de eleição criaria “o caos” e Bolsonaro rebateu dizendo que, se promulgado, a “eleição de 2022 terá voto impresso e ponto final”.

Durante transmissão ao vivo em suas redes sociais, o presidente leu a notícia em que Barroso, atual presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), fala que o voto impresso criaria o “caos”. E disse: “Vamos criar o caos em um sistema que funciona muitíssimo bem”, disse Barroso nesta quarta-feira (05) em entrevista à GloboNews.

Segundo a CNN Brasil, em resposta, Bolsonaro rebateu o ministro do STF e TSE. “Eu acho que ele [Barroso] é o dono do mundo, o Barroso, só pode ser, o homem da verdade absoluta, não pode ser contestado. Ninguém mais aceita o voto que tá aí, como vai dizer que esse voto é preciso, legal, é justo?”. Com críticas diretas ao sistema de votação impressa, o presidente afirmou que se em 2022 não houver voto impresso, não haverá eleição.

“Se o Parlamento brasileiro, por maioria qualificada, por 3/5 da Câmara e no Senado, aprovar e promulgar, vai ter voto impresso em 2022 e ponto

final. Vou nem falar mais nada, vai ter voto impresso. Porque se não tiver voto impresso é sinal de que não vai ter eleição, acho que o recado tá dado. Não sou dono da verdade, mas eu respeito o Parlamento brasileiro assim como eu respeito o artigo quinto da Constituição”, disse.

Bolsonaro defendeu que, ao ser favorável ao voto impresso, é também favorável à democracia. “Quem acha que não tem fraude, porque está com medo do voto impresso? Quem quer uma democracia e quer que o voto valha de verdade, tem que ser favorável. Parabéns a Bia Kicis, autora do projeto e ao Arthur Lira. Quem for contra, ou acredita em Papai Noel ou tá do lado do Barroso, ou sabe que pode ter fraude e acha que irá se beneficiar”, afirmou o presidente.