Petrolândia Notícias: PF em Pernambuco investiga possível rota de tráfico de drogas partindo de Fernando de Noronha

CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES ATUALZADO

JAQUES ATUALZADO

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021

PF em Pernambuco investiga possível rota de tráfico de drogas partindo de Fernando de Noronha


A PF em Pernambuco está investigando se há uma nova rota de tráfico internacional de drogas, principalmente cocaína, partindo de Fernando de Noronha para a Europa. Da ilha turística, por ser saída do território brasileiro pela costa, a suspeita é que veleiros podem estar sendo usados para o tráfico. 

A investigação sobre essa nova rota de tráfico internacional de entorpecentes veio à tona desde a apreensão de um veleiro, na última segunda-feira, carregado com 2,2 toneladas de cocaína, a 270 km da costa do Recife, em uma área considerada extensão do Brasil em alto mar. A origem da droga aprendida ainda é desconhecida. A embarcação foi interceptada pela Marinha do Brasil e Polícia Federal em cooperação internacional inédita com Reino Unido, Portugal e Estados Unidos.

Cinco pessoas foram presas em flagrante e conduzidas para a Superintendência da Polícia Federal, em Pernambuco, e passaram por audiência de custódia na tarde desta quarta-feira (17). Em depoimento, os homens detidos disseram que foram pagos para levar a droga, informou a PF, que não deu muitos detalhes sobre o caso, por estar em processo de investigação.

Após a audiência de custódia, as cinco pessoas presas tiveram a prisão preventiva decretada pela Justiça Federal em Pernambuco, e seguiram para o Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife.

Em Noronha existe um posto da Polícia Federal, mas segundo a própria PF, os inspetores do posto atuam mais em crimes ambientais. E que há expectativa de expansão do posto e das atividades no arquipélago administrado pelo governo de Pernambuco.

Os crimes investigados são tráfico internacional e associação para o tráfico. As penas podem chegar a 35 anos. A embarcação está à disposição da justiça e será alienada para posterior venda. A droga será incinerada.

Via PE Notícias

Social