Petrolândia Notícias: O que levou o TRE a cassar o prefeito de Arcoverde?

CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES ATUALZADO

JAQUES ATUALZADO

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

domingo, 21 de fevereiro de 2021

O que levou o TRE a cassar o prefeito de Arcoverde?

O Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) foi categórico ao decidir, por unanimidade, manter a cassação do prefeito de Arcoverde, Wellington Maciel, e do vice, Israel Rubis (PP), bem como a suspensão dos direitos políticos da dupla e da ex-prefeita Madalena Britto (PSB), aliada do emedebista, por oito anos. Os sete desembargadores referendaram a sentença do juiz eleitoral Draulternani Melo Pantaleão.

Com a decisão do TRE-PE, na última quinta-feira (18), prefeito e vice serão afastados dos cargos e novas eleições serão realizadas na cidade. Até a conclusão do novo pleito, quem assume a Prefeitura é o presidente da Câmara Municipal, Wevertton Siqueira (PSB). Para muitas pessoas, contudo, não ficou claro o que levou à cassação de Wellington Maciel, que concorreu com o nome Wellington da LW nas urnas, e do vice Rubis.

Para a Justiça Eleitoral, não houve dúvida de que a chapa encabeçada pelo empresário se valeu sistematicamente da máquina pública, utilizada pela então prefeita Madalena a favor dos aliados. Foram listados vários crimes, ferindo a Lei Eleitoral.

Na ação de investigação, foram apontadas 15 irregularidades, das quais seis caracterizaram abuso de poder econômico e político na visão do TRE-PE:

- Utilização da logomarca da Prefeitura de Arcoverde em postagem de anúncio da entrevista do pré-candidato Wellington da LW;

- Gravação de áudio de promessa de manutenção de emprego feita pela prefeita Madalena Britto a uma contratada se ela ficasse com o seu grupo (Madalena/Wellington/Israel);

- Desfile de veículos da Secretaria de Saúde com o locutor da Prefeitura proferindo palavras de ordem de cunho político em ataque aos opositores da prefeita Madalena Britto;

- Uso das Secretarias de Saúde e Ação Social para distribuição de benesses;

- Utilização da TV LW, de propriedade do candidato Wellington e do irmão, para evento de candidatos a vereador do MDB, partido ao qual o prefeito está filiado, em manifesta afronta ao princípio da igualdade de condições, contrariando a Lei Eleitoral.

- Interdição de via pública com gelo baiano e cimento para impedir evento político do candidato concorrente à Prefeitura Zeca Cavalcanti (PTB), utilizando a força da máquina pública para beneficiar o aliado Wellington da LW e seu vice.

Do Blog do Magno 



Social