Petrolândia Notícias: Deu no Brasil De Fato: Após embate com vereador, blogueiros sofrem ameaças de morte em Petrolândia (PE)

CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

sábado, 20 de fevereiro de 2021

Deu no Brasil De Fato: Após embate com vereador, blogueiros sofrem ameaças de morte em Petrolândia (PE)

Said Sousa assumiu o mandato de vereador em janeiro de 2021; ele viralizou com um vídeo em que exibe dinheiro, alegando que tentaram compra-lo, mas sem informar a procedência - Arquivo pessoal

No início de janeiro o vereador recém-empossado Said Sousa (Podemos), eleito em Petrolândia, viralizou com um vídeo em que exibe dezenas de notas de R$100 e R$50, sem informar a procedência, mas alegando que tentaram compra-lo e ele não aceitaria. Todavia, o parlamentar não esclareceu a origem ou para onde foi aquele recurso, o que levou o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) a abrir uma investigação sobre o caso. A cobertura realizada pelos blogs locais tem incomodado o vereador e a seu irmão Samyr, que já gravou áudios no whatsapp sugerindo o assassinato dos comunicadores.

O vídeo que deu origem à história foi divulgado no dia 1º de janeiro. Naquela madrugada de reveillon os parlamentares foram empossados oficialmente às 1h da manhã e, ainda na solenidade, que ocorreu na Câmara de vereadores, houve a votação que definiu o presidente e a mesa diretora que vai comandar os trabalhos na casa durante o biênio 2021-2022. A votação foi apertada e, por 6x5, o vereador Dedé de França (MDB) foi eleito. Horas depois, nesse mesmo dia, Said Sousa (Podemos) divulgou em suas redes sociais o referido vídeo, que ele mesmo removeria dias depois.

No vídeo o vereador Said Sousa aparece em sua residência, de bermuda e camiseta, exibindo uma grande quantidade de notas de R$100 e R$50 numa mesa. Em 2 minutos e 15 segundos ele diz ser contra a corrupção, faz referências a Deus e pede que “o dono” vá à casa dele buscar o dinheiro, mas não fala sobre a origem. “Eu entrei para ser diferente e vou ser diferente. A minha expectativa não está aqui não [bate na mesa em que estão as notas]. Aqui é muito dinheiro mesmo [exibe as notas]. Minha expectativa não está aqui, ela está em Deus”, diz ele. “Estou devolvendo isso. Tem até 19h para vir buscar [o dinheiro]. Se não vier, eu vou para a frente da Câmara jogar [o dinheiro] para o povo. Não quero uma nota. Isso não é meu”, finaliza.

Apesar da repercussão, as instituições locais até hoje têm evitado se pronunciar a respeito do caso. Só o MPPE, no dia quatro de janeiro, através da Promotoria de Justiça de Petrolândia, instaurou procedimento para apurar os fatos, destacando a eleição da mesa diretora da Câmara como possível motivo da corrupção. E deu ao vereador até o dia seguinte para ir à Promotoria esclarecer o ocorrido.

Já na Promotoria o vereador Sair Sousa (Podemos) afirmou que o vídeo era “informativo”, mas que não recebeu quaisquer quantias de terceiros e que, segundo o vereador, as notas exibidas no vídeo eram fictícias e “confeccionadas numa lan-house”. O MPPE realizou uma busca na casa do parlamentar e não localizou as notas, sejam verdadeiras ou falsas. No dia sete de janeiro o MPPE decidiu instaurar um inquérito para investigar “suposta captação ilícita de apoio político, com oferecimento de vantagem indevida” ou ainda a “prática do crime de moeda falsa”. O documento é assinado pelo promotor de justiça Filipe Coutinho de Lima Britto.

Desde então, dois dos principais blogs da cidade, o Petrolândia Notícias (editado por Alex Santos) e o Gota D’Água (Daniel Filho), têm insistido nas cobranças por posicionamentos das autoridades, em especial a Câmara Municipal, para que os fatos sejam esclarecidos. As cobranças têm irritado o vereador, que ao longo dessas cinco semanas tem subido o tom e nos últimos dias publicou ao menos três vídeos em suas redes sociais (nos dias 8, 9 e 13 de fevereiro) reclamando e atacando os comunicadores.

No vídeo do dia oito, o parlamentar tenta constranger o comunicador Alex Santos, do Petrolândia Notícias, pedindo explicações sobre os recursos públicos que o blogueiro teria acessado através da Câmara. “O senhor Alex Santos poderia ter dito à população que teve um contrato em 2019 no valor de R$17 mil e mais dois empenhos que somam R$3 mil [...]. Em 2020 um pouco mais. Eu queria que o senhor explicasse para a população”, diz o Said Sousa, sugerindo ainda que o caminho para obter esclarecimentos sobre o caso das notas exibidas pelo vereador era ir direto ao promotor de Justiça, não criticar a Câmara. Said encerra o vídeo com um aviso: “tomem cuidado com as matérias que vocês fazem”.

No dia seguinte, em novo vídeo direcionado a Alex Santos, o vereador se queixa que o blogueiro lhe fez ataques pessoais e não respondeu aos seus questionamentos. “O senhor só me mostrou que você deve, tem culpa no cartório. [...] A diferença entre mim e o senhor é que eu já fui preso, o senhor ainda não”, diz o parlamentar. Ele emenda: “se o senhor fosse uma pessoa de caráter e responsabilidade, responderia à altura”, ataca. “Você e o outro são dois blogueiros sem caráter. Mas vocês primeiramente têm que me respeitar como homem e me respeitar como político”, reclama. O vereador também diz que os dois comunicadores são “filhos de uniões espúrias”.

No dia 13, desta vez em vídeo direcionado a Daniel Filho, do Blog Gota D’água, Said Sousa reclama que sua atuação política não ganha espaço no blog, diz que o comunicador não deveria reivindicar liberdade de imprensa e tenta “ensinar” qual o papel dos jornalistas. “O poder de imprensa é de informar, não é de se posicionar. Quem se posiciona sou eu. O senhor informa. Eu não vi um trabalho meu como vereador divulgado na sua imprensa”, diz Said. “Será que você sabe o que é liberdade de imprensa? De imprensa o senhor não tem nada. O senhor é um acusador, que usa de má fé”, diz o vereador, acusando ainda o comunicador de receber recursos para falar mal de políticos. Ao fato de Daniel ter recebido ameaças, Said diz que nenhuma das ameaças partiu dele. “Eu não perco meu tempo ameaçando pessoas baixas e desqualificadas como o senhor”, diz o parlamentar.

Nesta quinta (18), em novo vídeo, desta vez criticando os serviços da agência do Banco do Brasil no município, o vereador aproveita para mencionar um trabalhador bancário que colabora com o Blog Gota D’água. “O Banco do Brasil sabe disponibilizar funcionário, como faz com o Francis, para vir criticar políticos. O banco deveria era melhorar o serviço para os clientes”, diz Said Sousa, chamando ainda atenção dos superiores do bancário.

Em áudios no whatsapp, Samyr Sousa, irmão do vereador Said, diz que “aqui tem uns vagagundos que têm que levar uns quatro tiros no meio da cara para aprender a ser homem. Isso é o que está faltando. E vai acontecer ligeiro”, diz ele, que também classifica os comunicadores como “vagabundos” e “bugalhos”. Noutro áudio, ele afirma: “Deus me livre Samyr Oliveira vereador e um filho da puta desse vir falar de mim, eu quebrava a cara dele de murro. Tenho essa paciência não”.

Os blogueiros Alex Santos e Daniel Filho já fizeram Boletins de Ocorrência sobre as ameaças e pediram apuração do Comitê de Ética da Câmara de Vereadores. Nesta quinta (18) a Câmara publicou em suas redes sociais e em seu site uma imagem do vereador Said Sousa e a frase “não houve quebra de decoro!”, dando a entender que esta foi a posição da casa, mas não disponibiliza a ata ou quaisquer detalhes sobre a reunião. A reportagem tentou contato com o vereador Erinaldo Fernandes, o “Dedé de França” (MDB), presidente da Câmara, mas não conseguiu retorno. Em contato com a reportagem, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) afirma que o inquérito segue aberto.

Em entrevista ao Brasil de Fato Pernambuco, o vereador Said Sousa desconversa sobre a origem do dinheiro. “Já prestei esclarecimentos ao Ministério Público. [...] Todo cidadão de Petrolândia sabe como funciona a política, mas poucos têm coragem de mostrar”, afirma. “Faço esses vídeos há anos nas minhas redes sociais e nunca tomou essas proporções. O MP quer uma explicação, mas na verdade não sei nem por que o MP pegou isso, que não é da competência dele. É competência da Câmara, que julgou no dia 27 de janeiro que não houve quebra de decoro”, pontuou ele.

Sobre as ameaças, ele reafirma que não partiram dele. “Ele é meu irmão, é meu sangue e vai me defender. Cada um responde por si. Eu não respondo pelos atos dele. O temperamento dele é ‘arrochado’ mesmo, mas eu já disse para ele deixar para lá. Não vale a pena. Mas é o jeito dele”, alega o vereador. “Mas não é só ele que está tomando as minhas dores. Muita gente que conhece meu trabalho e meu caráter já me disseram que vão deixar de seguir esses caras”, conclui.

Perfil
Said Oliveira de Sousa, 36 anos, é trabalhador da construção civil e assumiu o mandato de vereador em janeiro de 2021. Ele se tornou popular no município gravando vídeos mostrando desde praças com entulho de lixo, como fazendo denúncias de contratos públicos que não se convertem em serviços para a população. Said Sousa se candidatou pela primeira vez em 2016, pelo PP, quando obteve 337 votos e não foi eleito. Em 2020, agora pelo Podemos, ele conquistou 604 votos, sendo eleito como terceiro mais votado do município. Ele já foi preso por tráfico de drogas (2013) e tem três processos por desacato, injúria e difamação (todos de 2020). Hoje ele é evangélico. O seu irmão Samyr Oliveira de Sousa é agente comunitário de saúde, além de trabalhar com turismo, fazendo mergulhos no balneário do Rio São Francisco em Petrolândia.

Por Brasil De Fato/Edição: Vanessa Gonzaga