Petrolândia Notícias: Bolsonaro segue na liderança para vencer as eleições em 2022, diz pesquisa

CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

terça-feira, 9 de fevereiro de 2021

Bolsonaro segue na liderança para vencer as eleições em 2022, diz pesquisa


O presidente Jair Bolsonaro/ Foto: Alan Santos/ PR

Uma pesquisa divulgada na segunda-feira (8) apontou que o presidente Jair Bolsonaro segue na liderança de intenções de voto em 2022 e venceria todos os adversários em um eventual segundo turno.

O levantamento foi feito pelo Ipespe em parceria com a Xp Investimentos. A pesquisa foi realizada entre os dias 2 a 4 de fevereiro com 1.000 pessoas de todo o Brasil. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais.

Veja os números:

Jair Bolsonaro: 28%
Sergio Moro: 12%
Fernando Haddad (PT): 12%
Ciro Gomes (PDT): 11%
Luciano Huck: 7%
Guilherme Boulos (PSOL): 6%
João Doria (PSDB): 4%
João Amôedo (Novo): 3%
Luiz Mandetta: 3%

Já em simulações de segundo turno, Bolsonaro só seria derrotado pelo seu ex-ministro da Justiça.

Moro x Bolsonaro

Sergio Moro: 36%
Jair Bolsonaro: 32%
Bolsonaro x Ciro

Jair Bolsonaro: 39%
Ciro Gomes: 37%
Bolsonaro x Huck

Jair Bolsonaro: 37%
Luciano Huck: 33%
Bolsonaro x Doria

Jair Bolsonaro: 37%
João Doria: 30%
Bolsonaro x Haddad

Jair Bolsonaro: 41%
Fernando Haddad: 36%
Bolsonaro x Boulos

Jair Bolsonaro: 42%
Guilherme Boulos: 31%
Aprovação e Rejeição

Uma pesquisa realizada pelo XP/Ipespe revelou que 32% dos entrevistados aprovam o governo do presidente Jair Bolsonaro.

O levantamento, divulgado na última segunda-feira, 8 de fevereiro, também mostrou que o índice de rejeição do atual chefe da nação brasileira superou o de aprovação, totalizando 42%. De acordo com a instituição que realizou a pesquisa, a alta na reprovação de Bolsonaro é puxada principalmente pelo grupo dos mais pobres. O Nordeste foi a região do Brasil que mais reprovou a gestão de Bolsonaro (43% a 48%).

Além do Nordeste, na lista de regiões que mais reprovaram a gestão do presidente Bolsonaro estão a Norte e Centro-Oeste (32% a 40%). O entrevistadores também perguntaram sobre o auxílio emergencial. 53% dos entrevistados acreditam que o governo deveria criar um benefício semelhante por mais alguns meses e 17%, que o Bolsa Família deveria ser ampliado. No entanto, 49% das pessoas não acreditam que o governo fará alguma dessas ações.

O levantamento foi realizado entre os dia 2 e 4 de fevereiro com 1000 entrevistados. A margem de erro da pesquisa é de 3,2 pontos percentuais.

Do Portal de Prefeitura