Petrolândia Notícias: BEPI presta homenagem a PMs mortos em emboscada da Coluna Prestes

CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES ATUALZADO

JAQUES ATUALZADO

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

terça-feira, 16 de fevereiro de 2021

BEPI presta homenagem a PMs mortos em emboscada da Coluna Prestes

Ontem (14), foi realizada no Sítio Umburanas, município de Custódia, uma solenidade em homenagem aos PMs tombados em cumprimento do dever em 14/02/1926, durante uma emboscada promovida pelos militantes da Coluna Prestes. O movimento político-militar brasileiro ocorreu entre os anos de 1924 e 1927, cuja principal motivação era a insatisfação com o governo do presidente Arthur Bernardes. O evento, que foi realizado pelo Batalhão Especializado de Policiamento do Interior (BEPI), vem resgatar e enaltecer a história e bravura desses heróis que foram mortos em combate.

Em um domingo de Carnaval, como este, a Coluna travou seu combate mais violento durante sua passagem por Pernambuco. Os revoltosos interceptaram uma mensagem nos fios do telégrafo, dando conta do deslocamento de uma tropa da Força Pública do Estado, de Custódia para Serra Talhada. Eram 137 homens distribuídos em cinco caminhões. Foi montada uma emboscada, com a colocação de um chapéu de engenheiro na estrada.

Um dos caminhões parou para um soldado verificar do que se tratava, e todo o comboio também parou, quando os policiais foram cercados e atacados pelos insurgentes, em número quase cinco vezes maior. Após seis horas de combate, ao escurecer, a tropa conseguiu furar o bloqueio, e retornar a Custódia. No entanto, quatro caminhões foram queimados, escapando apenas aquele onde estavam as munições, facilitando a reorganização da tropa, que no dia seguinte deu início à perseguição dos agressores, que já haviam escapado do local.

Foram oito mortos e três feridos, vindos do 1°, 2° e 3° Batalhões, Regimento de Cavalaria e Companhia de Bombeiro da época. As vítimas foram enterradas no local do combate, onde foi erguido um monumento com uma placa de mármore em homenagem à bravura dos chamados mortos do Riacho do Mulungu, no Km 345 da BR-232.

Texto: Otávio Toscano/Fonte: Blog Custódia, com informações colhidas em livros e na imprensa

Social