Petrolândia Notícias: MPF denuncia 14 pessoas envolvidas em garimpo ilegal no Sertão de PE

CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES ATUALZADO

JAQUES ATUALZADO

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

sexta-feira, 29 de janeiro de 2021

MPF denuncia 14 pessoas envolvidas em garimpo ilegal no Sertão de PE

O Ministério Público Federal (MPF) realizou denúncia à Justiça Federal contra 14 pessoas envolvidas em um garimpo ilegal na zona rural de Verdejante e Serrita, no Sertão Pernambucano.

De acordo com o MPF, as apurações mostraram a prática de crimes ambientais, usurpação de patrimônio da União, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Esta denúncia é a primeira no âmbito da Operação Frígia, que foi deflagrada juntamente com a Polícia Federal (PF) em outubro de 2020. Entre os denunciados, estão o ex-vice-prefeito de Serrita e três policiais militares.

O MPF afirmou que “a denúncia destaca que o grupo se vale do aparato estatal para a prática criminosa, uma vez que também conta com mais dois policiais militares e um permissionário de casa lotérica, que seria responsável pela operação financeira das atividades”. Os policiais militares, de acordo com o Ministério, se aproveitavam dos cargos que exerciam para coagir testemunhas.

As apurações indicaram também que os denunciados faziam desde a extração da pedra bruta até a venda do produto a receptadores no Recife e em Juazeiro do Norte, no Ceará. A extração dos minérios acontecia em área de propriedade da União, no Açude Algodões, empreendimento construído pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), local vizinho a propriedades dos denunciados.

O MPF ainda destacou que, mesmo com as prisões em flagrante que aconteceram durante as investigações, o grupo não parou com as atividades ilegais de garimpo.

“Além disso, a exploração do minério, realizada de forma arcaica pelos envolvidos, traz risco de vida e à segurança física dos trabalhadores braçais, uma vez que, além de trabalharem sem equipamentos de proteção individual e coletiva, a qualquer momento pode ocorrer um desmoronamento”, concluiu. 

Informações do G1

Social