Petrolândia Notícias: Após falta de oxigênio, Pazuello admite colapso no sistema de saúde de Manaus

CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

sexta-feira, 15 de janeiro de 2021

Após falta de oxigênio, Pazuello admite colapso no sistema de saúde de Manaus

 

Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello/ Foto: Reprodução

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, falou na noite de quinta-feira (14) que a situação do sistema de saúde da cidade de Manaus, no Amazonas pode ser considerado em colapso com uma enorme quantidade de leitos e um aumento na letalidade.

Os hospitais da capital amazonense passaram a registrar falta de oxigênio disponível na quinta-feira (14), insumo indispensável para o atendimento dos pacientes com a Covid-19.

“O que caracteriza esse colapso é exatamente você não poder atender a fila e ter uma letalidade muito alta”, disse Pazuello, que participou de transmissão nas redes sociais ao lado do presidente Jair Bolsonaro.

Pazuello afirmou que a situação equivale a registrada em abril, quando o sistema de saúde local também se viu incapaz de dar conta da demanda de atendimento.

“Já houve um colapso no atendimento em abril. Agora, nós estamos novamente em uma situação extremamente grave.”

O ministro da Saúde afirmou que normalizar o fornecimento de oxigênio para a cidade é a prioridade do governo federal neste momento.

“A fila para leitos cresce bastante. Já estamos com 480 pessoas na fila. A realidade da diminuição da oferta de O2, não é interrupção, é diminuição da oferta. Há uma redução da oferta, estamos priorizando esse O2 nas UTIs”, afirmou.

Pedido de intervenção federal

 

O deputado federal Delegado Pablo (PSL-AM) enviou um ofício ao presidente Jair Bolsonaro com um pedido de intervenção federal na saúde do Amazonas em razão do agravamento da situação da pandemia de Covid no estado.

As possibilidades de intervenção federal nos estados estão previstas no artigo 34 da Constituição Federal. Entre outras hipóteses, a Carta diz que a União pode intervir em um estado para “pôr termo a grave comprometimento da ordem pública”.

De acordo com a Constituição, cabe privativamente ao presidente da República decretar e executar a intervenção federal. O texto diz ainda que é competência exclusiva do Congresso aprovar a intervenção federal.

Do Portal de Prefeitura