CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES ATUALZADO

JAQUES ATUALZADO

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CODIGO ADSENSE SITE RÁPIDO

quinta-feira, 10 de setembro de 2020

Prefeito e vice-prefeito de Agrestina são presos em operação da PF contra supostos desvios de recursos públicos


A Polícia Federal prendeu, nesta quinta-feira (10), o prefeito de Agrestina, Thiago Nunes (MDB), e o vice, Zito da Barra (PSDB), em operação realizada na cidade.

As prisões fazem parte da terceira fase da Operação Pescaria, que mira desarticular uma suposta organização criminosa especializada no desvio de recursos públicos na Prefeitura de Agrestina.

A PF apura supostos crimes de organização criminosa, peculato, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

De acordo com a investigação, as vantagens ilícitas teriam sido obtidas por meio da contratação fraudulenta de empresa de “fachada”, com recursos oriundos de verbas federais, “frustrando o caráter competitivo do processo licitatório e promovendo a execução dos contratos por meio de terceiros desqualificados”.

A investigação que culminou com a deflagração da operação mira a lavagem dos lucros obtidos supostamente de forma ilícita pela organização criminosa, levada a cabo por meio da utilização de conta bancária de titularidade de um “laranja” vinculado ao grupo.

“Esta conta bancária servia aos investigados para o recebimento de transferências bancárias e depósitos em espécie, estes na sua maioria em valores baixos e sem a identificação da origem, realização de saques de valores vultuosos, bem como, também, para a utilização de títulos de crédito ao portador (cheques) assinados em branco, tudo com o propósito de dificultar a identificação da origem criminosa do dinheiro”, diz a Polícia Federal em nota.

Além dos mandados de prisão preventiva contra o prefeito e o vice-prefeito de Agrestina, a PF também cumpre outros três mandados de prisão preventiva, 13 mandados de busca e apreensão em endereços residenciais e comerciais, além de mandados de afastamento de funções públicas dos ocupantes de cargos na Prefeitura.

Também são cumpridos mandados de afastamento de sigilos bancário e fiscal dos investigados, todos expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 5ª Região.

As duas fases que antecederam a Operação Pescaria III foram deflagradas respectivamente em 21 de fevereiro de 2019 e 28 de março de 2019.

A operação conta com o emprego de 70 policiais federais, além de servidores da Controladoria-Geral da União. 

Via: Blog do Jamildo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente!