CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES ATUALZADO

JAQUES ATUALZADO

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CODIGO ADSENSE SITE RÁPIDO

terça-feira, 22 de setembro de 2020

Polícia destrói 80,3 mil pés de maconha em setembro no Sertão de Pernambuco

Cerca de 80,3 mil pés de maconha foram erradicados no Sertão de Pernambuco pelas Polícia Federal (Delegacia em Salgueiro), Polícia Militar (1ª, 2ª, 7ª CIPM, BEPI) e Polícia Civil, somando as ações conjuntas dos dias 9, 11 e 18 de setembro. Se esta quantidade da planta fosse colhida, prensada e colocada no mercado, renderia 27 toneladas. O material foi encontrado na Zona Rural de Santa Maria da Boa Vista, em Carnaubeira da Penha e em ilhotas do Rio São Francisco. Também foram destruídos 18.640 mil mudas, 30,5 quilos de maconha pronta para consumo, 4 quilos de sementes.

A atuação da Polícia faz parte do conjunto de estratégias coordenação-geral de Prevenção e Repressão a Entorpecentes, órgão central da Polícia Federal em Brasília, com o objetivo de reduzir a produção e oferta de maconha no Sertão pernambucano. As operações são desdobramento da Operação Muçambê.

Um suspeito de 22 anos, natural de Itaíba e residente em Santa Maria da Boa Vista, foi preso em flagrante no dia 11. O rapaz, que tem antecedentes por roubo e tráfico, estava cultivando uma plantação quando foi capturado pelos policiais. No depoimento, ele negou envolvimento com o cultivo da cannabis. A Polícia diz que as circunstâncias, “como as mãos sujas do vegetal”, apontaram para sua responsabilidade. O homem foi autuado por tráfico de drogas, teve sua prisão preventiva confirmada na audiência de custódia e foi encaminhado para a Cadeia Pública de Salgueiro, onde ficará à disposição da justiça. Caso venha a ser condenado, pode pegar penas que variam de 5 a 15 anos de reclusão.

A PF informa que acompanha de perto o ciclo produtivo da cannabis para realizar novas ações. Quando vai se aproximando o período da colheita, novas apreensões são realizadas para impedir a secagem e introdução do produto no mercado. As constantes operações de erradicação da planta no Sertão tem impossibilitado que os produtores cultivem a planta até seu pleno desenvolvimento, o que tem levado à importação da droga do Paraguai. O aumento das apreensões feitas pela Polícia Federal de maconha vinda do país vizinho comprova a tese. O desabastecimento na região tem atingido também outros Estados do Nordeste.

Via PE Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente!