CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES ATUALZADO

JAQUES ATUALZADO

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CODIGO ADSENSE SITE RÁPIDO

domingo, 26 de julho de 2020

Santa Cruz perde nos pênaltis e dá adeus à Copa do Nordeste

Santa Cruz perde nos pênaltis e é eliminado da Copa do Nordeste - Foto: Rafael Melo/SCFC

Não deu  desta vez. Em jogo equilibrado, o Santa Cruz caiu nos pênaltis perante o Confiança e se despediu da Copa do Nordeste, neste sábado (25), no estádio Joia da Princesa, pelas quartas de final do regional. O Tricolor desperdiçou duas cobranças com Pipico e Patrick Nonato e viu o time azulino converter todas as cobranças. Com a eliminação, o time comandado por Itamar Schulle deixou de embolsar uma premiação de R$ 375 mil. Foco da Cobra Coral, agora, passa ser a seminfinal do Campeonato Pernambucano. 

O jogo começou truncado e com as duas equipes se impondo defensivamente. Pelo lado do Santa Cruz, um esquema de marcação pegado, que não abriu grandes brechas para o adversário construir jogadas de efeito no campo ofensivo, como é característico do time comandado por Schulle. Pelo lado do Confiança, que entrou no seu característico 4-4-2, a linha de bloqueio no meio e nas laterais impediu que a Cobra Coral conseguisse se lançar ao ataque com perigo, durante grande parte do primeiro tempo. 

O bom posicionamento defensivo dos dois times, consequentemente, dificultou jogadas mais trabalhadas até o ataque de ambos os lados. O Santa Cruz, por exemplo, não conseguiu se projetar no campo defensivo do Dragão, nem mesmo com as ultrapassagens de Fabiano, pela esquerda, e de Toty, pela direita. 

A equipe azulina, por outro lado, foi quem começou propondo o jogo. Aos 4 minutos, Paulinho errou no passe curto, Moritz aproveitou a falha, observou Maycon Cleiton adiantado e chutou do meio da área, mas a bola apenas saiu pela linha de fundo. Depois disso, o Dragão tentou algumas investidas, mas sem efetividade. Somente aos 29, pelo lado coral, o Santa deu seu primeiro arremate a gol, com Didira pelo meio. O lance de mais emoção da primeira etapa ficou reservado para os acréscimos. Após cobrança de escanteio, Pipico pegou a sobra e bateu forte em direção ao gol. A bola, no entanto, resvalou em William Alves e passou do lado da trave esquerda de Rafael, que só observou. 

O ritmo do jogo continuou praticamente o mesmo na segunda etapa. A briga por espaço era grande com jogadas disputadas e muitas bolas rifadas. O Tricolor, entretanto, entrou no jogo com postura diferente. Mas não conseguiu concretizar as chances em gol. Aos 20, Jeremias cobrou escanteio e William Alves subiu de cabeça. A bola bateu na trave e depois foi afastada pela zaga do Dragão. Cinco minutos depois, outra chegada perigosa da Cobra Coral, novamente com participação de Jeremias. Após falta cobrada pelo meia, Pipico resvalou de cabeça e a bola mais vez acertou a trave do arqueiro azulino. Na volta, Victor Rangel não aproveitou a sobra e mandou para fora. O time proletário, por outro lado, não se rendeu e já na etapa complementar teve a chance mais clara de abrir o placar com Danilo Pires.  

O técnico do Dragão fez uso das cinco substituições que os clubes têm direito no novo formato - Luan, Iago, Renan, Everton e Danilo Pires. Enquanto Schulle, alçou quatro atletas durante o tempo regular - Kleiton Pego e Patrick Nonato, nos lugares de Victor Rangel e Jeremias, respectivamente, além de Bileu, na vaga de André. Outra mudança foi a entrada de Célio Santos no lugar de William Alves, no último minuto de jogo, já visando as cobranças de pênaltis.  Com o fim do tempo regular, nervosismo à vista, afinal de contas tudo, a partir de então, seria resolvido nas penalidades. 

Logo na primeira cobrança, Didira converteu para os corais. Reis empatou para o Confiança. Na terceira cobrança, o desalento: Pipico correu para a bola e isolou. Renan, pelo outro lado, balançou as redes de Maycon Cleiton. Em seguida, Toty foi a cobrança, bateu certeiro no canto esquerdo e marcou. Pelo Confiança, Silva também foi bem sucedido e deixou o dele, enquanto Patrick Nonato bateu mal e desperdiçou mais um arremate para o Tricolor. Por último, Danilo Pires selou a inédita e histórica classificação do Dragão. O Santa Cruz se despede do Nordestão com quatro vitórias, dois empates - Bahia e, agora, Confiança no tempo regular - e três derrotas. 

Com a eliminação, todas as atenções do Mais Querido se voltam para o Campeonato Pernambucano. Classificado para a semifinal do Estadual, o próximo compromisso do Tricolor será na quarta-feira (29). O adversário dos corais sairá do duelo entre Náutico x Central, neste domingo (26).

Ficha Técnica:

Confiança 4

Rafael; Thiago Ennes, Matheus Mancini, Nirley (Luan) e Djalma Silva; Amaral (Danilo Pires), Jefferson Lima, André Moritz (Renan) e Ítalo Melo (Everton); Reis e Ari Moura (Iago). Técnico: Matheus Costa.

Santa Cruz 2

Maycon Cleiton; Toty, Danny Morais, William Alves (Célio) e Fabiano; André (Bileu), Paulinho e Didira; Jeremias (Patrick Nonato), Victor Rangel (Kleiton Pego) e Pipico. Técnico Itamar Schulle.

Local: estádio Joia da Princesa (Feira de Santana-BA)
Árbitro: Léo Simão (CE). Assistentes: Nailton Júnior de Sousa Oliveira e Renan Aguiar Costa (ambos do CE);

Gols: Didira (S), Reis (C), Renan (C), Toty (S), Silva (C) e Danilo Pires (C). 
Cartões amarelos: Nirley (C).

Por Júlia Rodrigues/FolhaPE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente!