CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES ATUALZADO

JAQUES ATUALZADO

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CODIGO ADSENSE SITE RÁPIDO

quarta-feira, 22 de julho de 2020

Fake news sobre auxílio emergencial é “dor de cotovelo”, diz Fernando Filho


O deputado Fernando Filho (DEM-PE) classificou como “dor de cotovelo” a disseminação de fake news sobre a prorrogação do auxílio emergencial de R$ 600,00. Ele lembrou que o benefício foi prorrogado pelo presidente Jair Bolsonaro através de decreto assinado pelos presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre, no fim de junho. Mas as notícias falsas continuam circulando pela internet acusando os deputados (incluindo ele) de terem votado contra a prorrogação. 

Fernando Filho ressaltou a sensibilidade do presidente Bolsonaro, que ampliou a proteção social durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Com isso, o auxílio emergencial atendeu, em menos de dois meses, 65 milhões de brasileiros enquanto o programa Bolsa Família contemplava 15 milhões de pessoas com o benefício médio de R$ 200,00. 

“Quem deu ajuda três vezes maior que o Bolsa Família aos mais vulneráveis foi o presidente Bolsonaro, com o apoio do Congresso Nacional. Para ser justo, o governo enviou uma proposta de R$ 200,00, a Câmara propôs R$ 500,00, mas o presidente Bolsonaro autorizou R$ 600,00. Isso é apenas gente que quer confundir o debate. No fundo, é dor de cotovelo”, disse o deputado, durante transmissão em rede social nesta terça-feira (21).

De acordo com Fernando Filho, as fake news foram espalhadas após a votação, na Câmara, de projeto de lei que proíbe o bloqueio ou desconto do auxílio emergencial para o pagamento de dívidas, com exceção de débitos relacionados à pensão alimentícia. Uma emenda foi apresentada ao projeto para prorrogar o auxílio, mas não foi acolhida por gerar despesa sem apontar a fonte dos recursos. “Como tem muita gente em dificuldade, com o nome negativado, impedir o bloqueio foi uma importante vitória, mas a prorrogação do auxílio emergencial já havia sido decidida pelo presidente Bolsonaro”.


Via Carlos Britto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente!