CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES ATUALZADO

JAQUES ATUALZADO

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CODIGO ADSENSE SITE RÁPIDO

sexta-feira, 19 de junho de 2020

Se ligue! Justiça vai punir quem publicar notícias falsas em redes sociais nas eleições


Quantas vezes no Facebook e nos grupos de WhatsApp você não já se deparou com uma notícia absurda, que apenas parece ser verdadeira, mas não é, e tem milhares de comentários de compartilhamento, com várias pessoas crentes de que aquilo é verdadeiro.

As redes sociais são um paraíso para a proliferação das fake news e em período eleitoral elas proliferam. Só que a justiça já está punindo. Fake news é uma mentira que parece verdade. É uma forma de enganar as pessoas, é um termo novo, mas é um problema velho, muito semelhante ao boato.

O termo em inglês fake news é usado para identificar publicações feitas com o intuito de aparentar veracidade, mas com o objetivo oculto de enganar o leitor, comumente para gerar algum benefício a terceiros.

Segundo resolução do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para a campanha, o usuário de redes sociais que publicar ou compartilhar notícias falsas terá o conteúdo retirado do ar, pagar multa e ser processado.

Quem compartilhar conteúdo classificado como fake news também pode receber a punição. O eleitor tem que tomar muito cuidado até mesmo na hora de compartilhar notícias falsas, porque o mero compartilhamento também gera dano ao ofendido.

Cabe a nós o maior papel de fiscalizar e não espalhar notícias falsas nas redes sociais. Devemos verificar as fontes de informações, evitar assumir de que algo compartilhado por um contato social é confiável e evitar compartilhar algo sem lê-lo criticamente.

*JOSÉ LUIZ NETO é advogado do Escritório Luiz Neto Advogados Associados

www.luiznetoa.dv.br / advluizneto@gmail.com

Via ChicoSabeTudo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente!