CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES ATUALZADO

JAQUES ATUALZADO

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CODIGO ADSENSE SITE RÁPIDO

quinta-feira, 2 de janeiro de 2020

"Se eu fosse ser prefeito de Petrolândia hoje, talvez não, com certeza eu seria melhor do que fui lá atrás, com relação a percepção das coisas", declarou o ex-prefeito 'Lourival Simões' em entrevista exclusiva [Parte-2]

Foto: reprodução

No último sábado (28), o blog Petrolândia Notícias, através do blogueiro Alex Santos, com exclusividade entrevistou o ex-deputado estadual, e ex-prefeito de Petrolândia Lourival Simões.

Nessa segunda parte da entrevista, Lourival Simões, dentre outros assuntos, deu sua opinião com relação a uma possível aliança entre o grupo de situação a qual o mesmo faz parte, com o pré-candidato a prefeito de Petrolândia, Dr. João Lopes. "Eu não digo não, nem sim. Minha opinião não tenho opinião com relação a isso não. A candidata é a prefeita. Compete a ela fazer esse tipo de composição, ela conversar sinalizar e Dr. João a mesma forma. Eu não vejo o governo do estado intervindo nisso não. Obviamente se aja sinalização. Agora se você perguntar se acha que acontece... Eu acho que não!".

Sobre a pesquisa recente que o blog divulgou em parceria com instituto DEMARC, questionado sobre seu nome ter tido uma crescente e está em segundo lugar na pesquisa cientifica, Lourival respondeu: "Alex, agente tem mais de vinte anos dentro de uma história política em Petrolândia. A família Simões, digamos assim a ponta da lança sou eu, vamos colocar dessa forma com todo respeito a minha mãe Dona Socorro, que é a matriarca da minha família. Eu sempre digo que dona Socorro tem mas votos do que eu. Ela consegue caminhar nos mas diversos seguimentos da população de Petrolândia. As pessoas tem um respeito, e um carinho muito grande por ela. As pessoas não podem esquecer que eu fui duas vezes deputado estadual, duas vezes prefeito de Petrolândia. Conduzi um sucessão onde quase ninguém acreditava que faríamos o prefeito Ricardo. Então assim força política nós temos. Só por quê deixei de ser prefeito as pessoas vão deixar de me respeitar". 

A repeito de ter feito pouco em seu segundo mandato como prefeito, Lourival respondeu: Alex eu fiz o que dava pra fazer. Eu fiz o que minha responsabilidade competia era pagar as contas, pagar servidores em dia, pagar os fornecedores em dia. E olhe que nesse segundo governo eu entreguei esses dois núcleos escolares. Eu entreguei a escola Pedro Cavalcanti lá no atalho. Eu não consegui concluir a escola da agrovila 02 a Jurema, que foi justamente quando a gente nucléou, Ricardo entregou logo no inicio do governo. Então assim, você diz fez pouco...Eu comprei a semi UTI, mas três ambulâncias, eu entreguei mas três tratores grandes com implementos agrícolas. Então assim, o que é muito pouco e o que é muito? Comecei a construção do Posto de Saúde do Bairro Nova Esperança, fiz a pavimentação da primeira rua do Bairro Nova Esperança, conclui a pavimentação da zona urbana, calcei seis agrovilas no meu segundo governo. Então o que é muito pouco Alex? Então assim as pessoas tem que saberem dosar. A farmácia especial de medicamentos especiais foi instalada no segundo governo. Voltamos a fazer cirurgias otorrino, do primeiro, permanecemos no segundo governo. Fizemos o mutirão da saúde que atendia a população a demanda reprimida. Fizemos o Chico do Bem, ampliamos a Casa da Criança Nutrida, deixou de ser a Casa do Leite, onde as pessoas só iam tomar leite passou a ter refeições." 

Questionado sobre um desgoverno após renúncia do seu sucessor Ricardo, e após Jane assumir o comando da Prefeitura, Lourival respondeu: "Eu acho que não Alex, acho que não Alex. O lapiso temporal de Ricardo foi muito curto, foi muito curto... Então assim, gestão é todo dia, todo dia tem prioridade. Você tem que tentar fazer o melhor possível. Eu não acredito que Jane acorde todo dia pensando em fazer o mal a cidade de Petrolândia, é impossível até por que não cabe nela. Então assim ela vai dormir pensando na maldade que vai fazer no outro dia. Por quê assim, quem coloca um negócio desse é idiotice. Agora realmente você não ter dinheiro para fazer o que precisa ser feito. Então assim é uma situação complicada, é uma situação delicada, não é fácil. Eu passei por isso, então ninguém precisa me dizer. Só que as pessoas achavam que era mentira minha, que era invencionice minha. Só que a oposição pregou isso aos quatros cantos de Petrolândia".

Perguntado sobre a principal dificuldade que o mesmo enfrentou durante seus oitos anos de governo a frente da Prefeitura de Petrolândia, Lourival respondeu: "Olhe Alex acho que a incompreensão das pessoas. Mas eu fiquei tão satisfeito tão tranquilo depois que as pessoas compreenderam, que se tratavam de uma verdade. Acho que o resultado eleitoral vem dai. Da pesquisa que foi feita, enfim.  Que é o reconhecimento que apesar das dificuldades conseguimos deixar a casa em ordem, conseguimos conduzir o município. Por que assim, bom no bom. Eu fui bom no bom com dinheiro, disputei um reeleição que foi digamos assim o maior resultado expressivo eleitoral dentro do município de Petrolândia. E no ruim sem receita, com todo mundo uma confusão da bexiga, um pau da bexiga para cima de mim, sem eu ter culpa de nada. Por que assim com um tempo a verdade aparece, então acho que é um pouco disso. Atribuíam muita coisa que eu fazia, que eu dizia, e depois o tempo se encarregou de dizer".

Questionado sobre o lançamento da chapa de oposição de Fabiano e Rogério, se o mesmo não acha que foi um antecipação, Lourival respondeu: "Não, não, por quê eles tem que correrem atrás do tempo, por que eles perderam muito tempo sem saberem se era governo ou oposição. Por quê se eles demorassem mais... Não falo de Rogério, falo do posicionamento que Fabiano adotou. João correndo solto, eles iriam recuperar esse espaço quando se não começasse isso, em junho? Na verdade eles tem que correrem pela ausência que eles causaram, o resultado que eu interpreto em pesquisa eleitoral é isso. 

Sobre a reportagem que mostrou em imagens Lourival sentado na mesma mesa ao redor com Fabiano na Ilha de Rarrá, durante visita do secretário de turismo do estado Rodrigo Novaes e a prefeita Jane, Lourival declarou: "Acho que assim. Tem que entender certas situações. Rodrigo Novaes ele é secretário de estado, ele é do governo, a prefeita é do governo é do PSB partido do governador. Eu sou do PSB partido do governador". Alex perguntou e Fabiano? Lourival respondeu: Num sei. É a grande incógnita não entendi o que tá fazendo lá. Por quê ele não apoio o governador Paulo Câmara, não entendi o que ele estava fazendo lá. Mas ai pergunte a ele o que ele estava fazendo lá. A resposta vai ser simples é o deputado que votei. Mas o deputado que ele votou não pertence ao governador que ele votou. Então Paulo Câmara que é o governador eleito, fui responsável de conduzir a campanha dele, as pessoas, e ele sabe que o apoiou. A não mas pode se tentar um composição futura. Isso é coisa para o futuro, isso não me compete julgar, nem nada. A prefeita estava conversando com Rodrigo, e me chamaram pra poder dar uma opinião. Por quê sou desse jeito, quer uma opinião me peça por que não vou tá me enxerindo pra tá dando opinião em nada não viu. Me chamaram para dar minha opinião, dei minha opinião e sai. Você tava lá, você viu. Respondi só isso, me derem licença Por que esse ambiente aqui não me compete. Por quê eu sou ex, me dê licença vou cuidar da minha vida, feito diz a história. E lá eu estava acompanhando um secretário de estado, é um negócio interessante. Mesmo não ter votado nele, ele é um secretário do meu governador. Então isso pra mim é fácil lhe dar com isso". Concluindo Lourival disse: Se eu tivesse feito isso como você tá dizendo, eu taria fazendo igual a Fabiano, e o povo respondeu a Fabiano na eleição passada. Aprenda em politica eu não traio. Há Lourival e se você fosse traído? Dai é outra coisa. 

Sobre relacionamento com Fabiano, Lourival respondeu: "Não tem relacionamento Alex, nenhum, nenhum. A última vez que conversei com Fabiano foi em meados de 2013, e de lá pra cá, nenhum tipo de contato. Ele resolveu partir para a oposição, então oposição é oposição, situação é situação. Não há por quê ter nenhum tipo de relacionamento. Também não desejo o mal nem nada não. Acho que cada um tem sua vida. Ele tá seguindo a dele, e eu estou seguindo a minha.

A respeito de novos nomes estarem surgindo para a disputarem a próxima eleição ao cargo de prefeito, Lourival deu sua opinião da seguinte forma: "Alex eu não prejulgo. É aquela situação lá atrás. Eu não questiono a vontade de ninguém de ser candidato a prefeito. Isso não cabe a mim, se não séria democrático. Não vejo nenhum problema em relação a isso, e que surjam novos nomes para disputar a eleição de prefeito de Petrolândia, aos meus olhos não. É bom você ter que ai você mostra com relação a democracia. Se tentar costurar, dai cabe a habilidade de cada um que queira costurar isso, obviamente cabe a habilidade de cada um. E tentar crescer o grupo já existente, independente daquele que seja. Tentar unificar o discurso, pra poder você encarar uma eleição mas robusta, com mais nomes, com mais ideias". 

Fazendo uma auto-análise de sua pessoa nos dias atuais, Lourival, declarou: "Depois que eu deixei a Prefeitura de Petrolândia, Alex, eu mudei muito. A minha forma de percepção das coisas. Por quê as vezes quando você tá sentado na cadeira de prefeito, quando você se afasta o horizonte é maior, muito maior, muito mas amplo. Hoje eu sou completamente diferente daquele que assumiu em 2009, completamente daquele de 2012". Perguntado o que mudou, Lourival, disse: "O lado mais humano em perceber situações que passaram despercebidas entre nós. A parte técnica, eu sempre primei pela parte técnica para colocar as coisas para funcionar, por quê esse é meu perfil. Tava até conversando com Rorró, lá em Floresta. Ela ta lá definindo se vai ser candidata ou não. Ela me dizendo que as pessoas querem que ela retornasse a prefeitura de Floresta. O motivo que lá querem Rorró, é por um motivo. E aqueles que defendem que eu volte a prefeitura um dia, é por outros motivos. É fazer as coisas funcionarem, e a máquina pública gerenciar, e colocar as coisas para andar. Cada um tem seu perfil, cada qual tem seu cada qual. Isso é interessante, a minha percepção hoje em dia é interessante. Eu não entendia nada da gestão pública, hoje eu entendo. Profundo entendedor não, cada dia eu aprendo uma coisa nova, uma coisa diferente. Hoje como eu sai da prefeitura e enveredei para o ramo da agricultura, eu entendo muito mas a dificuldade do agricultor e do homem do campo. Hoje meu entendimento dos perímetros irrigados é outro completamente diferente do que era lá atrás. E olhe que eu tinha um percepção muito boa lá atrás. Hoje em dia é melhor, por quê, hoje eu sou agricultor e produzo. Então eu sei onde tá o problema, mas fundo do que sabia lá atrás. Então isso obviamente você vai trocando experiências conversando com as pessoas. A partir do momento que você tem tempo de conversar com as pessoas você se aprofunda ainda mas. Isso pra mim me vez ver as coisas de um modo diferente, de um modo melhor hoje. Um exemplo se eu fosse ser prefeito de Petrolândia hoje, talvez não, com certeza eu seria melhor do que fui lá atrás, com relação a percepção das coisas". 

Sobre a possibilidade de ser candidato a vice numa futura chapa na candidatura a reeleição de prefeita Jane, Lourival respondeu, dentre outras coisas: "Alex na política agente não descarta nada,sabe... Até por quê assim olhe, vice bom é o vice que não tira, não tira votos. Se eu puder trazer votos melhor ainda. Você não precisa justificar os nomes. Tudo que você precisa justificar na montagem eleitoral se torna complicado. E o ser humano tem certas vaidades. Aqui na minha casa a gente aprendeu a não ter isso".  

A entrevista foi dividida em três partes; acompanhe a 2ª parte da entrevista: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente!