CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES ATUALZADO

JAQUES ATUALZADO

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CODIGO ADSENSE SITE RÁPIDO

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Morre quarta vítima de queda de jatinho no sul da Bahia

O jato Cessna 550, que levava o grupo de amigos: o trem de pouso quebrou-se ao bater em degrau localizado antes do início da pista/Foto: Reprodução/Internet

Subiu para quatro o número de mortos em decorrência da queda de um avião durante o pouso em um resort no distrito de Barra Grande, em Maraú, na Bahia. Fernando Oliveira Vieira Silva, 26 anos, era o único dos feridos que permanecia internado na UTI do Hospital Geral do Estado (HGE), em Salvador.

Segundo informações da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), Fernando morreu na madrugada deste domingo (24). Antes dele, morreram a jornalista Marcela Brandão Elias, 37, a irmã dela, a assessora de imprensa Maysa Marques Mussi, 27, e o ex-piloto da Stock Car, Tuka Rocha, 36 anos.

Maysa era casada com o empresário Eduardo Mussi, que também estava no voo e é irmão do deputado federal licenciado Guilherme Mussi (PP-SP). Marcela era casada com Eduardo Elias, 38 anos, e mãe do menino de 6 anos que foi internado junto com o pai, ambos com queimaduras.

Havia dez pessoas a bordo do jatinho que pegou fogo na tarde do último dia 14, entre elas o piloto Aires Napoleão Guerra, 66 anos, que recebeu alta no último dia 20. Os outros cinco passageiros feridos foram transferidos para São Paulo no último dia 19. São eles Marcelo Constantino, 28 anos, neto de Nonô Constantino, fundador da Gol; Marie Cavelan, 27 anos; Eduardo Mussi, viúvo de Maysa Mussi, segunda morte confirmada; Eduardo Trajano, viúvo de Marcela, e o garoto de 6 anos, seu filho.

A Polícia Civil da Bahia instaurou um inquérito para apurar as circunstâncias do acidente e informou que ainda aguarda o resultado dos laudos periciais. Os prazos para divulgação dos resultados, no entanto, não foram informados.

O avião que transportava as vítimas no dia do acidente era um bimotor Cessna AirCraft, de prefixo PT-LTJ, modelo 550, fabricado em 1981 e registrado na Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) em nome do empresário José João Abdalla Filho, que não estava entre os passageiros.

De acordo com informações da Força Aérea Brasileira, na tarde do acidente, a aeronave havia partido de Jundiaí (SP) com destino a Barra Grande (BA), onde os passageiros participariam de uma festa de casamento. Instantes após o acidente, os ocupantes da aeronave foram socorridos por funcionários do resort, que passa por uma reforma e não está em funcionamento. Ainda na tarde do acidente, as vítimas foram transferidas para Salvador por aeronaves da Polícia Militar da Bahia.

Via FolhaPE




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente!