CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES ATUALZADO

JAQUES ATUALZADO

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

sábado, 1 de junho de 2019

Jovem Pankararu de Tacaratu-PE, é contratado pelo Vasco

Clécio e Cauan, que aprovou a estrutura do Vasco destinada às categorias de base. (Clécio Monteiro/cortesia)

Índio Pankararu da cidade de Tacaratu, no sertão de Pernambuco, Cauan Lucas, de 15 anos, foi contratado para integrar as categorias de base do Vasco da Gama. O garoto estava há duas temporadas no Esporte Clube Primavera, de Indaiatuba, interior de São Paulo, e chamou a atenção dos cariocas pela inteligência de jogo, o bom domínio e batida de bola, qualidades essenciais para quem deseja se tornar um meia profissional. Cauan já treina com a camisa do Vasco e está hospedado no alojamento das categorias de base de São Januário.

De acordo com seu pai, Clécio Monteiro, Cauan joga futebol desde criança, fase em que dividia a bola com outros garotos da aldeia. “Aos 13 anos, ele conquistou a oportunidade de treinar no Primavera. Lá, disputou o sub 13, o sub 14 (2018) e, neste ano, competia pelo sub 15. O pessoal do Vasco foi a alguns jogos e demonstrou interesse em negociar”, conta Clécio, que conseguiu um emprego como porteiro no Primavera, com o objetivo de ficar mais perto do filho.

Apesar disso, ele pontua os desafios de deixar a aldeia em busca do sonho de ver o filho se tornar um jogador profissional. “Minha esposa ficou na aldeia, eu em São Paulo e ele no Rio. Deixamos nossa cultura para trás, é uma situação que não é fácil, mas é preciso abrir mão de algumas coisas. Temos fé em Deus”, completa Clécio, para quem o garoto tem a seu favor a “raça e a força de vontade Pankararu”.

Representatividade

Dentre os craques de origem indígena que já vestiram a camisa da seleção brasileira estão nomes como Garrincha, de ascendência Fulni-Ô, e mais recentemente Paulinho, que é Xucuru. “Paulinho é um incentivo para nós como indígenas. Sinto muita falta da aldeia, mas é isso, minha conquista é muito trabalho e povo Pankararu vem me ajudando bastante a conseguir meus objetivos. Meu maior sonho é ser um jogador profissional e poder ajudar minha família”, comenta Cauan.

Por Portal Leia Já/NE10

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente!