CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES

JAQUES

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

segunda-feira, 11 de março de 2019

Polícia divulga retrato falado de outro suspeito no caso das agulhadas no Carnaval

Retrato falado de suposto envolvido no caso das seringadas durante o Carnaval/Foto: Leo Malafaia/Folha de Pernambuco

Um novo retrato falado de um suposto envolvido no caso em que foliões teriam sido furados por seringas durante o Carnaval foi divulgados pela Polícia Civil de Pernambuco (PCPE) nesta segunda. 

O rosto do homem, de aproximadamente 25 anos, foi feito na última sexta-feira, a partir da descrição de vítimas que procuraram a Delegacia Móvel instalada no Hospital Correia Picanço, no bairro da Tamarineira, Zona Norte do Recife. Ao todo, 190 pessoas procuraram atendimento médico afirmando terem sido vítimas de ataques de seringas nesse período carnavalesco. 

Até o momento, foram registrados sete boletins de ocorrência. A vítima que auxiliou no segundo retrato viu o agressor em dois momentos. Entre 12h e 13h, o jovem sentiu uma picada no cotovelo e, ao olhar para os lados, viu o homem do retrato falado. Algum tempo depois, uma amiga que estava com ele também sentiu uma furada no braço e, nesse momento, o jovem também viu o homem do retrato falado perto deles.

A polícia não descarta a possibilidade de haver mais pessoas envolvidas.

Retrato falado de suposto envolvido no caso das 'agulhadas' - Foto: Reprodução

As pessoas que reconhecerem os indivíduos ou tiverem qualquer informação sobre o caso podem comparecer a qualquer uma das unidades de polícia para registrar o Boletim de Ocorrência ou ligar para o número do Disque-Denúncia é 34219595 e o da delegacia de Rio Branco é 31843452. As investigações vão ficar com o titular da DP de Rio Branco, o delegado Breno Varejão.

A Unidade Móvel continuará instalada no referido hospital, para atender possíveis vítimas. O crime de expor a vida de outra pessoa em risco por transmissão de moléstia grave, previsto no artigo 131 do Código Penal Brasileiro, prevê pena de reclusão em regime fechado, de até quatro anos, não descartando a hipótese do cometimento de crimes ainda mais graves.

Segundo o diretor da DIM, Ivaldo Pereira, a polícia não descarta a possibilidade de haver mais pessoas envolvidas. Um retrato falado de uma suposta mulher que também teria envolvimento foi feito, mas segundo a polícia, ainda faltam detalhes periciais para divulgar esse terceiro participante nos crimes. 


“Nós resolvemos divulgar apenas um, porque estamos passando para a imprensa e à população informações concretas. Um dos retratos falados, nós chegamos à conclusão que precisamos de mais informações, de mais detalhes. Então, preferimos na data de hoje, apresentar apenas um” afirmou o diretor.

Via FolhaPE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente!