CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES ATUALZADO

JAQUES ATUALZADO

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Presidentes do Senado e STJ lamentam morte de Boechat


A morte do jornalista Ricardo Boechat foi motivo de consternação por políticos e autoridades da justiça brasileira. O âncora da Rádio e TV Bandeirantes morreu nesta segunda-feira (11), após a queda de um helicóptero em São Paulo. O presidente do Senado, Davi Acolumbre afirmou que Boechat era um “profissional reconhecido pelo trabalho e senso crítico aguçado revelado nos principais meios de comunicação do país”.

O senador se solidarizou com a família e amigos. "Foi em estado de consternação e tristeza que recebi a notícia da morte inesperada do jornalista Ricardo Boechat. Era um profissional reconhecido pelo trabalho e senso crítico aguçado revelado nos principais meios de comunicação do país. Envio meu sentimento de solidariedade aos seus colegas de trabalho e à toda sua família. Tenho certeza que os brasileiros lamentam a morte desse argentino que escolheu o Brasil como lar. Fica a saudade e o respeito pelo homem e jornalista que sempre demonstrou ser. Meu apoio fraterno também aos parentes e amigos dos demais ocupantes do helicóptero, que fatalmente caiu em São Paulo", disse, Acolumbre, em seu perfil na rede social. 


O Superior Tribunal de Justiça (STJ), enviou nota lamentando o fato. "Ao longo de quase 50 anos de carreira, o jornalista Ricardo Boechat construiu uma história marcada pelo profissionalismo, pela imparcialidade e pelo cultivo dos valores mais caros ao jornalismo, como a ética e o combate à corrupção. Jornalista multifacetado e premiado, Boechat consolidou seu nome entre os profissionais de imprensa mais respeitados do país. Com profunda tristeza, manifesto condolências aos familiares, amigos e todos os colaboradores do Grupo Bandeirantes", diz a nota, assinada pelo presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio de Noronha.

Além do Senado e STJ, o presidente da República Jair Bolsonaro, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), e o governador da Bahia, Rui Costa, também se pronunciaram. 

Via BNews

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente!