CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES ATUALZADO

JAQUES ATUALZADO

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

sábado, 26 de janeiro de 2019

Rompimento de Barragem: “Não há previsão de contaminação do Rio São Francisco”, mas Usina de Três Marias está em alerta

Represa de Três Marias recebe águas do Rio Paraopeba, que pode ser afetado pela lama de rejeitos — Foto: Fabrício Coelho/Bombeiros Voluntários de Três Marias

Os Bombeiros Voluntários de Três Marias confirmaram na tarde desta sexta-feira (25) que os rejeitos da barragem da mineradora Vale no Córrego do Feijão, em Brumadinho, podem chegar à represa de Três Marias a partir das 00h deste sábado (26).

A barragem da mineradora fica na região metropolitana de Belo Horizonte e se rompeu nesta sexta; pelo menos quatro pessoas ficaram feridas e cerca de 200 estão desaparecidos. Um mar de lama destruiu casas da região. O Corpo de Bombeiros e Defesa Civil municipal e estadual estão no local.

De acordo com o diretor da Associação dos Bombeiros Voluntários de Três Marias, Fabrício Coelho, um alerta foi emitido pela Defesa Civil Estadual para que o monitoramento seja intensificado na área da barragem. A Cemig, responsável pela represa, confirmou que monitora o andamento da lama e que, provavelmente, chegará na cidade.

“A Cemig ficou responsável por fazer o monitoramento oficial da barragem, da qual ela é a responsável. Mas estamos com o pessoal em prontidão para, se necessário, atuar”, diz o Fabrício.

O diretor explicou ainda que a represa de Três Marias está com cerca de 57% de sua capacidade total, o que pode ajudar na diluição dos rejeitos que despejaram com o rompimento em Brumadinho. “Três Marias é cerca de cinco vezes maior que a barragem que rompeu. Então, o volume de rejeito que chegar deve ser diluído mais facilmente. Mas se realmente chegar até Três Marias, o fornecimento de água às casas deve ser interrompido até que seja feita análise da água”.

Curso do rio

O reservatório fica no Rio São Francisco, que é a principal fonte de captação de água de diversas outras cidades no Norte de Minas. Em Pirapora, segundo a assessoria da prefeitura, diretores do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) e representantes da Defesa Civil se reuniram para estudar a situação e verificar se o rompimento da barragem em Brumadinho vai gerar algum impacto na cidade. Segundo a assessoria do Saae, não há previsão de interromper o abastecimento de água e contaminação do Rio São Francisco.

O serviço afirma que vai esperar entre 48h a 72h para verificar, com exatidão, se os dejetos da barragem chegarão até Três Marias e se as cidades ribeirinhas, como Pirapora, correm algum risco de serem afetadas.

Pelo menos cinco cidades próximas de Brumadinho já emitiram alerta sobre os riscos de a lama atingir a cidade. Entre elas Mário Campos, São Joaquim de Bicas, Betim, Juatuba e Florestal. Nesses municípios, equipes das defesas civis estão empenhadas em evacuar as margens do Paraopeba. O rio deságua na Represa de Três Marias, no Rio São Francisco.

Por Valdivan Veloso, G1 Grande Minas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente!