CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES

JAQUES

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Haddad se diz preocupado com avanço da ‘direita populista’: ‘Ninguém quer um mundo obscurantista’

Haddad participa de discussões sobre o assunto, nos Estados Unidos | Foto: Divulgação / Facebook

Presente na palestra “Challenging the new right populism” (“Desafiando o novo populismo de direita”), no último sábado (1º), em Nova York, Fernando Haddad (PT), derrotado na última corrida presidencial, falou sobre o avanço da “direita populista”, a qual, segundo o petista, é identificada de forma crescente em locais como Brasil, Áustria, Suécia. O ex-prefeito de São Paulo destacou que haverá “um desafio intelectual muito grande pela frente”.

“Não podemos ser arrogantes de imaginar que temos as respostas prontas para desafios tão complexos. Uma dose de humildade, mas uma humildade que não paralisa, que estimula a buscar alternativas rápidas que possam ser oferecidas a uma população que deseja um mundo novo. Ela só não sabe qual”, afirmou.

Haddad também externou preocupação com as eleições europeias, que acontecem no próximo ano. “Se eles utilizarem os mesmos métodos que utilizaram no ‘brexit’ [saída do Reino Unido da União Europeia], aqui na eleição do [presidente Donald] Trump, da eleição do Bolsonaro, nós podemos ter problemas em países que são a última fronteira democrática que ainda resiste. E ninguém quer um mundo obscurantista”, disse.

Na visão do petista, após a eleição de Bolsonaro, “não há segurança de cátedra” para grupos minoritários no Brasil. “Do mesmo jeito que os indígenas estão inseguros, que os tratados internacionais sobre meio ambiente estão em risco, que a comunidade LGBT está em risco, hoje você não tem, no Brasil, segurança de liberdade de cátedra”, sentenciou.

Via Varela Notícias