CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES

JAQUES

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

domingo, 2 de dezembro de 2018

Felipe Carreras e Gonzaga Patriota votaram em Haddad (PT), mas já foram “pedir a bênção” de Bolsonaro de olho em 2020


Causou surpresa em Brasília a participação dos deputados federais do PSB,  Felipe Carreras e Gonzaga Patriota numa visita ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) na última quarta-feira.  De acordo com o blog de Ricardo Antunes os dois querem a legenda do PSL para disputar as prefeituras de Recife e Petrolina, respectivamente.

Felipe Carreiras já sabe que o candidato do partido será o deputado federal João Campos, e começa a preparar o seu desembarque do partido.  Campos é filho de Renata Campos, viúva de Eduardo que deseja colocar o filho na Prefeitura do Recife em 2020.

O ex-secretário de Turismo já definiu que será candidato de “todo jeito”. Ele foi reeleito com expressiva votação para a Câmara dos Deputados e avalia que a vez deveria ser dele e,  não, do filho de Renata que poderia esperar mais um pouco. 

Parte do PSB acha que Carreras está correto. “O garoto está pulando a fila”, chegou a comentar um socialista ao falar sobre a sucessão do prefeito Geraldo Júlio (PSB). 

Eleitor do petista Fernando Haddad depois de “jurar”  que não votaria em um candidato de Lula, Felipe Carreras explicou que foi para o encontro como vice-presidente da Comissão de Turismo na Câmara para “prestigiar” o anúncio do novo ministro da área. 

Gonzaga Patriota, por sua vez, foi convidado  para o casamento do coordenador da transição e futuro ministro da Casa Civil, deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), realizado na capital federal. 

Ele tem um excelente trânsito entre os parlamentares com os seus mais de 30 anos de mandato. É amigo pessoal de Onix e do próprio Bolsonaro com quem conviveu esse tempo todo na Câmara. 

Aliás, o deputado pernambucano é um daqueles exemplos de  político que não depende da simpatia de governador algum. 

Tem um eleitorado firme e fiel no sertão e sempre manteve suas bases políticas mesmo quando foi impedido, pelo próprio PSB na época de Eduardo Campos, de realizar seu maior “sonho”:

Tornar-se prefeito de Petrolina e governar a cidade que tanto ajudou. 

Talvez seja mesmo a hora de trilhar outro caminho.

Via PE Notícias