CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES

JAQUES

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

terça-feira, 18 de dezembro de 2018

Explosões de caixas deixam cidades do interior de Pernambuco sem banco, e moradores precisam viajar para outras cidades pra fazer saques

Foto: Reprodução / TV Globo

A cidade de Nazaré da Mata, na Zona da Mata de Pernambuco, é uma das poucas da região que ainda conta com banco. Em dias de pagamento, as filas se multiplicam na cidade. Após explosões a caixas eletrônicos nos últimos anos, ao menos 12 municípios pernambucanos estão sem bancos e os moradores precisam viajar para fazer saques. 

De janeiro a julho deste ano, quando o Sindicato dos Bancários de Pernambuco fez o último levantamento, 63 agências ou postos de atendimento bancários foram explodidos no estado. Quinze deles não reabriram e sete voltaram a funcionar, mas sem dinheiro.

Em várias cidades do interior, como Condado, a falta de bancos é um transtorno. A única agência bancária da cidade foi explodida em 2016 e ainda não reabriu. A cidade não tem nem mais caixas eletrônicos. Os últimos funcionavam em um posto de atendimento bancário, que agora está fechado após ter sido alvo dos bandidos no mês de setembro de 2018.

A dificuldade de sacar dinheiro atrapalha os moradores e afeta diretamente os comerciantes. ”O pessoal tem ido sacar nas cidades vizinhas e aproveitando a oportunidade dos saques lá eles deixam o dinheiro lá e com isso tem prejudicado. Meu movimento caiu em torno de mais de cinquenta por cento depois do fechamento do banco”, lamenta o comerciante Fernando Menezes.

Mesmo antes do horário das agências abrirem, a fila começa em Nazaré. A comerciante Maria de Fátima Barbosa é uma das que se sente prejudicada pela situação. “É um absurdo, né? Por causa de uns bandidos, a gente é que paga”, diz.

A professora Tânia Maria Santos Chagas é uma das pernambucanas que se vê obrigada a pegar a estrada para poder fazer saques e ter acesso a outros serviços. "Final de ano, muita correria, muita coisa pra resolver, e a gente tem que se deslocar de uma cidade pra outra. É um transtorno", afirma. 

A agricultora Adriana Batista mora em Carpina, mas o banco da cidade foi atacado agora em dezembro e não está funcionando. Ela viajou até Nazaré da Mata só para sacar dinheiro, mas deu azar. ”Na hora em que eu fui receber o caixa tá em manutenção. É muito revoltante isso aí, muito revoltante mesmo”, relata.

Prevenção

Diante dos assaltos frequentes nas outras cidades, a Polícia Militar elaborou estratégias para evitar que Nazaré da Mata também fique sem agência.

“Todos os dias, temos a operação Madrugada Segura. Estamos funcionando todos os dias com apoio do Gati [Grupo de Apoio Tático Itinerante], e as guarnições saem juntas em comboio para fazer o policiamento mais eficaz”, detalha o tenente-coronel Marcos Evangelista.

Desde 2016, os bandidos fizeram investidas em Bom Jardim, Machados, Buenos Aires, Aliança, Condado, Itaquitinga, Araçoiaba, Paudalho, Carpina, Tracunhaém, Lagoa do Itaenga e Feira Nova, entre outras cidades. 

As informações são do Bruno Grubertt, TV Globo / G1 PE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente!