CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES

JAQUES

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

Ex-governador do Espírito Santo, Gerson Camata é assassinado em Vitória

O ex-governador  Gerson Camata (PMDB-ES) foi assassinado por volta das 17 horas desta quarta-feira, numa calçada em frente a um bar, na Rua Joaquim Lírio, na Praia do Canto, um dos bairros de classe média de Vitória. Segundo uma testemunha disse que ele foi morto com um tiro no peito, próximo à axila esquerda.

O assassino seria um homem magro, baixo e de cabelos brancos. Depois de atirar contra o ex-governador, o assassino atravessou a rua calmamente, levantou a camisa, colocou a pistola na cintura e fugiu do local. Um suspeito já está preso.

— Eu estava numa padaria com minha mulher do outro lado da rua. Iríamos tomar um café. De repente, ouvimos um estampido. Em seguida : vi o ex-senador, com a boca sangrando e os braços encolhidos. Ele caiu na calçada — disse a testemunha, que concordou em fazer o relato do caso com a condição de que não tivesse o nome publicado.

Algumas pessoas se aglomeraram perto do corpo. Uma delas apalpou o pescoço o pescoço, o pulso e disse para outras que Camata ainda estava respirando. Ele teria morrido na ambulância, a caminho do hospital.

O suspeito seria um ex-assessor de Camata. O homem se aproximou do ex-governador, que estava em frente ao bar Motor Rockers, e perguntou sobre o pagamento de uma dívida. Camata teria respondido :

— Isso aí é com a Justiça e com meu advogado.

O homem se afastou um pouco, sacou a arma e disparou.

Suspeito preso

Momentos depois do assassinato de Camata, a polícia prendeu Marcos Vinicius Moreira Andrade, suspeito de matar o ex-governador. Andrade estava há menos de um quilômetro de distância do local do crime. Ele teria sido detido quando retornava para casa.

Ex-assessor de Camata, com quem trabalhou por 19 anos, Andrade denunciou o ex-governador em 2009 por suposto recebimento de propina de empreiteiras, entre elas a Odebrecht, e apropriação de dinheiro de funcionários do gabinete dele, no período em que era senador.

Camata foi eleito governador em 1982. Também foi senador por três mandatos (1987-2011), duas vezes deputado federal (1975-1983) , deputado estadual (1971-1975) e vereador de Vitória (1967-1971). 

Com informações do Jornal O Globo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente!