CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES

JAQUES

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

quinta-feira, 1 de novembro de 2018

Sindicato acusa 3ª SR Codevasf de destruir acampamento na zona rural de Petrolina durante suposta reintegração de posse

Acampamento Chico Sales destruído. (Foto: Sintraf/Divulgação)

O Sindicato dos Agricultores Familiares de Petrolina (Sintraf) distribuiu nota à imprensa afirmando que busca, há 24 horas, um posicionamento da 3ª Superintendência Regional da Companhia de Desenvolvimento dos Vale do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) sobre uma reintegração de posse supostamente irregular ocorrida ontem (31) numa fazenda localizada no N-4 do Perímetro Irrigado Senador Nilo Coelho, zona rural da cidade.

Segundo o Sintraf, a ação ocorreu enquanto os acampados estavam trabalhando no campo, e não resultou em violência.  O Sintraf alega que agentes da Codevasf e do Distrito de Irrigação Nilo Coelho (DINC) atearam fogo e usaram tratores para derrubar casas das famílias do acampamento Chico Sales, que fica na Fazenda Copa Fruit, no N-4 do Perímetro Irrigado Senador Nilo Coelho.

Os agricultores disseram ter pedido móveis, roupas e objetos pessoais.  Eles alegam que não tinha oficial de justiça, policiais ou qualquer documento com a ordem de reintegração, apenas os guardas que fazem a vigilância do canal e uma representante do departamento de Latifúndio da Codevasf .

Segundo Isália Damascena, presidente do Sintraf, ela e o advogado José Netto Bezerra e o diretor do Sintraf, Natalício Sá, marcaram uma reunião com representantes da 3ª SR para as 14h de ontem – o que acabou não acontecendo. “Até agora não entendi por que a Codevasf fez essa desocupação se a área do acampamento Chico Sales não pertence a ela, já que é uma propriedade privada. E mesmo que fosse dela, deveria haver uma notificação prévia ou algo do tipo. O que não ocorreu”, afirma.

Contato

Segundo a sindicalista, o Sintraf tem buscado contato com responsáveis DINC e a própria Superintendência da Codevasf, mas não obtém respostas. “A única informação que tive foi que o pessoal do DINC serviu apenas de apoio [à ação]”, concluiu ela ao lembrar que a Fazenda Copa Fruit está desativada há 10 anos.

Sobre a denúncia, o Blog entrou em contato com a assessoria da 3ª SR Codveasf, mas ainda não recebeu resposta. A reportagem não conseguiu contato com o DINC, mas deixa o espaço aberto para algum posicionamento.

Via Carlos Britto