CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES

JAQUES

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

domingo, 25 de novembro de 2018

MP de Minas pede bloqueio de R$ 11 milhões em bens de Aécio Neves e condenação por improbidade

O Ministério Público de Minas Gerais recorreu a Justiça para pedir que o senador Aécio Neves devolva aos cofres públicos cerca de R$ 11,5 milhões referentes a gastos com cerca de 1.337 voos no período em que ele era governador de Minas Gerais. Na Ação Civil Pública o MP pede que o senador seja condenado por improbidade administrativa.

Segundo o Ministério Público, o valor refere-se a gastos com aeronaves oficiais, piloto e combustível, que teriam sido utilizados sem justificativa para uso particular. O MP afirma ainda que passageiros dos deslocamentos não foram identificados nas prestações de contas e pede o bloqueio dos bens de Aécio até o valor total da ação: R$11.521.983,26 para garantir a restituição.

“A circunstância, por si só, não se harmoniza com a alegação, encetada pela defesa na fase inquisitiva, de que a finalidade dos voos tinha o objetivo de garantir a segurança do requerido na qualidade de então chefe do Executivo”, afirma um trecho da ação.

A assessoria do senador afirma, por meio de nota, que a ação é “incompreensível”, pois estão sendo analisados todos os voos realizados nos dois mandatos de Aécio como governador:

“O senador Aécio Neves considera incompreensível e incoerente a manifestação de promotores do MP de Minas Gerais que questiona os voos feitos no Governo Aécio Neves há mais de 10 anos sendo que o mesmo MP por seu órgão máximo considerou, 6 meses atrás, legais voos feitos pelo atual Governador Fernando Pimentel amparado no mesmo decreto que agora é desprezado”.