CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES

JAQUES

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Reportagem acusa campanha de Bolsonaro de comprar pacotes de disparos em massa de mensagens contra o PT no WhatsApp


Presidente nacional do PT, a senadora Gleisi Hoffmann (PR) disse nesta quinta-feira (18) que vai acionar o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para cobrar providências em relação ao que chamou de "fábrica de mentiras" do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL). 

A Folha de S.Paulo publicou nesta quinta que empresas estão comprando pacotes de disparos em massa de mensagens contra o PT no WhatsApp e preparam uma grande ação para a próxima semana, que antecede o segundo turno.

A prática é considerada ilegal já que se trata de doação de campanha por empresas, o que é proibido por lei, e, ainda por cima, não é declarada. "Vem à tona submundo do WhatsApp que sustenta a fábrica de mentiras do deputado Jair Bolsonaro. Ódio ao PT financiado por esquema de caixa dois, completamente ilegal. Popularidade comprada", escreveu a senadora em uma rede social, em que também compartilhou uma imagem da primeira página da Folha de S.Paulo.

"Ontem [quarta-feira, 17], da tribuna do Senado, antecipei denúncia sobre o submundo do WhatsApp. A campanha de #Haddad13 pediu investigação sobre o assunto junto à PF [Polícia Federal]. Hoje, pediremos providências urgentes junto ao TSE: é operação clara de caixa dois, ilegal", prosseguiu na rede social.

O presidenciável Fernando Haddad (PT) também escreveu sobre o assunto nesta manhã. "Na Folha de hoje, o escândalo do caixa 2 digital de Bolsonaro. Meu adversário joga na sombra o tempo todo, enquanto foge dos debates na luz do dia. Joga sujo junto com a turma do dinheiro para enganar o eleitor", afirmou o candidato.

Por: Folhapress