CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES

JAQUES

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

terça-feira, 16 de outubro de 2018

O que Haddad e Bolsonaro prometem para o Bolsa Família?

Cartão do Bolsa Família/Foto: Wikimedia Commons

Brasileiras e brasileiros voltarão às urnas no domingo (28) para decidir entre os candidatos Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL) para ocupar a Presidência da República a partir de 1º de janeiro de 2019. Com planos de governo antagônicos, Haddad e Bolsonaro polarizaram a eleição e disputam os votos dos 147 milhões de eleitoras e eleitores. Em uma época onde as fake news dominam os cenários político e eleitoral, é fundamental o esclarecimento do que é verdade ou não de acordo com os planos de governo dos presidenciáveis. 

Para o Bolsa Família, por exemplo, o petista promete incorporar famílias de baixa renda que não são contempladas ou foram excluídas do programa. Já o pesselista quer "modernizar e aprimorar" o programa para ampliar o valor mínimo pago a cada família. 
Confira as propostas citadas nos planos de governo de Haddad e de Bolsonaro:

Fernando Haddad (PT)
Dentro do que o programa da coligação "O Brasil Feliz de Novo" (PT-PROS-PCdoB) afirma, o Bolsa Família estará incluído no novo "pacto federativo para a promoção dos direitos sociais". Os investimentos no programa deverão ser reforçados e famílias de baixa renda que não são contempladas passarão a receber o benefício, assim como as que foram excluídas. 

Outros programas sociais como Minha Casa Minha Vida, Mais Médicos e Farmácia Popular farão parte desse pacto que pretende recuperar a participação do Estado no que é considerado um grande legado dos governos de Lula e Dilma. O uso do Cadastro Único como fonte de diagnóstico para a implementação de políticas sociais, conforme as demandas específicas de cada segmento, também será feito em um eventual governo Haddad.

Jair Bolsonaro (PSL)
No programa de governo da coligação "Brasil acima de tudo, Deus acima de todos" (PSL-PRTB), o Bolsa Família passará por um processo de “modernização e aprimoramento”, assim como o abono salarial, que poderá ser extinto. O objetivo, afirma o programa é ampliar o valor mínimo pago a cada família beneficiária. 

A meta de um eventual governo Bolsonaro é que cada brasileiro tenha uma renda igual ou superior ao que é atualmente pago pelo Bolsa Família, dentro do que é chamado de "Programa da Renda Mínima".

Via FolhaPE