CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES

JAQUES

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

sábado, 6 de outubro de 2018

No último dia de campanha, Armando visita feira na Zona da Mata e mercados na RMR

Armando Monteiro fez caminhada na feira livre de Vitória de Santo Antão/Foto: Reprodução/Facebook

No último dia de campanha, o candidato ao Governo de Pernambuco pela coligação Pernambuco Vai Mudar, o senador Armando Monteiro Neto (PTB) parece ter se perguntado "pernas, pra que te quero?". Seu dia começou com uma visita à feira livre de Vitória de Santo Antão, o mais populoso da Zona da Mata, de onde o candidato seguiu para a Região Metropolitana, onde fez caminhadas nos mercados públicos do Cordeiro e da Encruzilhada.

O Mercado do Cordeiro e o seu entorno estavam movimentados e Armando apertou mãos, abraçou, beijou, foi beijado e abraçado por onde passou. Num restaurante em frente ao mercado, o candidato foi aplaudido pelos clientes. Numa outra loja, os vendedores todos vieram para a calçada apertar a 
mão do senador.

 A despeito dos resultados da quarta pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe) em parceria com a Folha de Pernambuco, divulgada na sexta (5), que aponta para a possibilidade da eleição estadual ser resolvida no primeiro turno, Armando se mostrava animado."A eleição terá segundo turno, e nós vamos poder estender esse período de debate, aprofundar a discussão. Nesta fase, a propaganda se desequilibra muito. Quem tá na cadeira de governador tem sempre a vantagem, primeiro porque faz propaganda massiva antes da campanha eleitoral; segundo porque, dados os critérios existentes, ele tem mais do que o dobro de inserções.

Apesar disso, quando você soma os percentuais que são dados a candidatos de oposição, que é o campo em que eu tô inserido, você encontra quase 50% dos votos válidos. Então, eu acho que não tem nada resolvido. Vamos ter uma eleição de dois turnos e, no segundo turno, o jogo se equilibra, porque passamos a ter tempos iguais", declarou o candidato.

Dentre os militantes, o ânimo não era diferente. A avaliação era de que, nas eleições de 2014, há 15 dias da votação, a eleição já estava decidida, mas, desta vez, não. A declaração de apoio à candidata Dani Portella (PSOL) feita nesta sexta-feira pela vereadora Marília Arraes (PT), que concorre a uma vaga na Câmara Federal, também entra na conta dos PTBistas como um fator de subtração de votos do governador Paulo Câmara, candidato à reeleição pela Frente Popular. Para Monteiro Neto, o primeiro turno da campanha foi marcado por uma propaganda que apelou para a baixaria e distorceu o debate eleitoral com mentiras. "No segundo turno, vamos fazer um debate sem tanta mentira quanto aconteceu no primeiro", declarou.

Diferentemente de alguns candidatos à Presidência da República, que lançaram dúvidas sobre as urnas eletrônicas, o senador disse estar "absolutamente tranquilo" e confiar muito no sistema, que afirmou funcionar com uma grande margem de segurança, há várias eleições. Sobre a comemoração dos 30 anos da promulgação da Constituição Federal, declarou: "Eu não identifico ameaças à democracia brasileira. Veja a pesquisa, como, de forma inequívoca, a esmagadora maioria do povo brasileiro expressou sua confiança na Democracia. As instituições, apesar de tudo, funcionam e, qualquer que venha a ser o resultado do pleito presidencial, eu acho que o Brasil está a salvo de qualquer surto autoritário", avaliou.

Via FolhaPE