CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES

JAQUES

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

terça-feira, 30 de outubro de 2018

MPF determina abertura de inquérito policial para investigar incêndio em Aldeia Pankararu de Jatobá, no Sertão

Escola incendiada em aldeia de Jatobá — Foto: Internet/Reprodução

O Ministério Público Federal (MPF) em Serra Talhada, no Sertão de Pernambuco, determinou à Polícia Federal (PF) a abertura de inquérito para investigar o incêndio ocorrido em um posto de saúde e uma escola situados na aldeia Bem Querer de Baixo, no município de Jatobá, no Sertão. A procuradora da República Maria Beatriz Ribeiro Gonçalves requereu também que sejam implementadas rondas policiais diárias no local.

O MPF vai promover no dia 22 de novembro uma audiência pública para tratar da desintrusão da Terra Indígena Pankararu, que fica entre os municípios pernambucanos de Jatobá, Petrolândia e Tacaratu. O evento vai ocorrer na Câmara Municipal de Vereadores de Jatobá, a partir das 9h30.

Foram convidados a participar lideranças indígenas e de outros grupos sociais envolvidos, bem como representantes do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Fundação Nacional do Índio (Funai), Defensoria Pública da União, Secretaria de Articulação da Presidência da República, Secretaria de Justiça e Direitos Humanos de PE, Programa de Proteção aos Defensores de Direitos Humanos de PE, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar de PE, Justiça Federal de Serra Talhada, Conselho Indigenista Missionário e Prefeitura Municipal de Jatobá.

Entenda o caso
Uma escola pública municipal e uma Unidade de Saúde da Família (PSF) foram incendiadas na Comunidade Indígena Povo Pankararu, em Jatobá, no Sertão de Pernambuco. O caso aconteceu na madrugada da segunda-feira (29).

Segundo a Polícia Civil, nos locais foram queimados móveis, documentos e equipamentos.Ainda de acordo com a polícia, a motivação e a autoria do crime são desconhecidas até o momento desta publicação.

Do G1/Caruaru