CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES

JAQUES

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Governo Temer inclui 2ª etapa da Adutora do Pajeú, em Sertânia, no pacote de inaugurações de obras até 31 de dezembro


O governo anunciou nesta quarta-feira (24) um programa de inaugurações de obras pelo Brasil para serem realizadas até 31 de dezembro. Intitulada “Desafio Chave de Ouro”, a lista inclui trechos da transposição do Rio São Francisco, como a inauguração da 2ª etapa da Adutora do Pajeú (PE), do aeroporto de Macapá (AP), de hospitais em Goiás e Mato Grosso e reestruturação da BR-163, em Mato Grosso.

O Planalto estima que a injeção de recursos seja de R$ 1 bilhão, que será remanejado a partir de restos a pagar – conta do Orçamento que inclui recursos destinados a pagar débitos restantes de outros anos.

O pacote inclui obras que tiveram a inauguração atrasada ou já eram previstas. É o caso do lançamento do submarino Riachuelo em Itaguaí (RJ). A ação já estava marcada para 18 de dezembro.

Outro exemplo ilustra o programa,  a 2ª ponte do Rio Guaíba, no Rio Grande do Sul, para qual está prevista uma inauguração parcial. Segundo o ministro dos Transportes, Valter Casimiro, o governo abrirá a travessia de Porto Alegre a Guaíba, porém, o inverso não será permitido.

“O que o governo quer é dar funcionalidade à ponte. Você poderá atravessar em um dos sentidos. No trecho que sai de Porto Alegre a Guaíba. À volta não”, afirmou o ministro.

Segundo o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, a obra receberá R$ 100 milhões em recursos.

Marun diz que o programa não é um compromisso, mas sim “um desafio”, que dependerá de sinergia de todos, incluindo do Congresso.

Nega que o pacote é uma forma de resgatar a popularidade do governo Temer, com níveis históricos de reprovação e que ficou em 2º plano devido à disputa eleitoral.

“Um governo que tem 2 anos não pode se dar ao luxo de parar antes do tempo”, falou.

O anúncio foi realizado após reunião de Temer com 7 ministros: Eliseu Padilha (Casa Civil), Valter Casimiro (Transportes), Gilberto Occhi (Saúde), Vinicius Lummertz Silva (Turismo), Gustavo Canuto (substituto, da Integração Nacional), Gustavo Rocha (Direitos Humanos) e Carlos Marun (Secretaria de Governo).

Via PE Notícias