CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES

JAQUES

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

domingo, 28 de outubro de 2018

Fátima Bezerra (PT) vence no RN e será a única governadora do País

Fátima Bezerra (PT) é a governadora eleita do Rio Grande do Norte/Foto: Reprodução/Facebook

Fátima Bezerra é a nova governadora do Rio Grande do Norte. Com 91,31% dos votos válidos, a candidata do PT contabiliza 57,51% dos votos válidos. Carlos Eduardo (PDT) tem 42,49%. A vitória de Fátima consolida a quarta vitória do PT no Nordeste, região onde o partido também vai governar Bahia, Ceará e Piauí nos próximos quatro anos.

A senadora será a única mulher a governar um estado brasileiro na próxima legislatura. Sua eleição também faz do Rio Grande do Norte o estado que mais teve mulheres governadoras no país -Fátima será a terceira, sendo precedida por Wilma de Faria (1945-2017), eleita em 2002 e 2006, e Rosalba Ciarlini, eleita em 2010.

Favorita desde o início da campanha, Fátima foi alçada pela popularidade do ex-presidente Lula para chegar ao segundo turno, mas consolidou sua vitória ao conseguir formar uma frente ampla nas últimas semanas.

A petista recebeu o apoio do PSDB, que no primeiro turno havia apoiado a reeleição do governador Robinson Faria, e também atraiu para seu palanque Benes Leocadio (PTC), deputado federal mais votado do estado nestas eleições.

Seu adversário, por outro lado, iniciou o segundo turno alinhando-se à candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência da República - no primeiro turno, ele apoiou Ciro Gomes, presidenciável de seu partido. O apoio a Bolsonaro foi decidido após o bom desempenho do capitão reformado no Rio Grande do Norte no primeiro turno, onde chegou a 30% dos votos e venceu em Natal.

Pedagoga e militante histórica do PT, partido ao qual é filiada desde 1981, Fátima Bezerra nasceu na Paraíba, mas mudou-se ainda jovem para o Rio Grande do Norte. Foi professora das redes municipal e estadual e ganhou projeção com sua militância no Sindicato dos Trabalhadores em Educação. Foi deputada estadual entre 1995 e 2003 e deputada federal entre 2003 e 2015. Em fevereiro de 2015, assumiu um mandato de senadora.

Com uma trajetória ligada ao movimento sindical, Fátima colocou-se como contraponto a seu adversário, que faz parte de um dos clãs mas tradicionais da política potiguar, a família Alves.

Carlos Eduardo é primo do senador Garibaldi Alves (MDB) -derrotado neste ano em sua tentativa de reeleição- e do ex-ministro Henrique Eduardo Alves (MDB), que responde por suspeitas de corrupção e estava preso até julho deste ano.

A segurança pública também foi um dos temas predominantes na campanha eleitoral. O Rio Grande do Norte é proporcionalmente o estado mais violento do país, com 88 homicídios por cada 100 mil habitantes, segundo dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

A senadora propôs medidas de combate à violência como fortalecimento da inteligência nas investigações policiais e a implantação de videomonitoramento nas principais cidades do estado. Já Carlos Eduardo defendeu aumento da capacidade de investigação das polícias Civil e Militar, mais investimentos em inteligência e tecnologia e o aumento do efetivo das forças policiais.

Com a vitória de Fátima Bezerra, assume uma cadeira no Senado pelos próximos quatro anos o seu suplente, o economista e advogado Jean-Paul Prates (PT).

Via FolhaPE