CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES

JAQUES

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Homem é preso com explosivos que seriam usados para explodir presídio e banco

Yury Araújo dos Santos, de 18 anos, foi preso em flagrante com os explosivos/Foto: Divulgação/Polícia Civil de Pernambuco

Um homem suspeito de vender explosivos foi preso em flagrante pela Polícia Civil de Pernambuco na última terça-feira (4). Segundo a polícia, ele foi encontrado com uma sacola cheia do material, que seria usado para explodir o muro de um presídio para a libertação de presos e para a explosão de bancos e carros-fortes no Sertão do Estado. 

A prisão de Yury Araújo dos Santos, de 18 anos, que foi divulgada nessa quinta-feira (6), aconteceu no estacionamento de um supermercado no bairro de Dois Irmãos, na Zona Norte do Recife. Em depoimento aos policiais, Yury afirmou que não conhecia a pessoa que iria receber o material, apenas que seria um presidiário, mas que conhecia o que iria recebê-lo no supermercado. Ele contou ainda que receberia R$ 1 mil pela entrega. 
Na sacola, a polícia encontrou dois tubos de ferro metalon recheados com emulsão explosiva e com cordel detonante, além de mais dois cartuchos com a emulsão. "Tivemos conhecimento dessa entrega e fizemos campanhas na localidade onde conseguimos identificar o suspeito que iria fazer a entrega. Realizamos a abordagem e conseguimos apreender os materiais", explicou o delegado titular da Delegacia de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), Vinicius Notare. 


Luís Alberto, delegado adjunto de Roubos e Furtos; Adriana Oliveira, delegada titular da Estelionato; Vinicius Notare, delegado titular de Roubos e Furtos - Crédito: Julya Caminha/Folha de Pernambuco

Na delegacia, o suspeito foi autuado pela delegada Ana Catarine Cavalcanti pelo crime de possuir, deter, fabricar ou empregar artefato explosivo ou incendiário, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar, previsto no artigo 16 da Lei 10.826/2003. A pena varia de quatro a oito anos. Os trabalhos de investigação seguem para identificar outras pessoas envolvidas.

Explosivos encontrados com Yury/Foto: Divulgação/Polícia Civil de Pernambuco

Via FolhaPE