CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES

JAQUES

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

'Eu perdoei quem fez isso comigo', diz Alexandre Farias 1 ano após ter sido atingido por bala perdida em Caruaru

Alexandre Farias foi atingido por bala perdida em setembro de 2017 quando voltava para casa, em Caruaru — Foto: Joalline Nascimento/G1

Há um ano, Alexandre Farias, de 40 anos, voltava para casa após apresentar o ABTV 2ª Edição quando foi atingido na cabeça por uma bala perdida em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. O jornalista, que está se recuperando das sequelas do incidente no Recife, contou ao G1 que, apesar de tudo, não tem raiva da vida. "Eu perdoei quem fez isso comigo", disse.

Sobre perdoar o criminoso que efetuou o disparo de arma de fogo, o jornalista é firme ao dizer que o "perdão traz paz para o coração" e que "é importante buscarmos a paz de espírito". "Eu não tenho revolta da vida. Eu não tenho raiva de ninguém. [O que aconteceu comigo] foi um fato. Eu passava no local. Foi um incidente. [O tiro] não foi direcionado para mim. Talvez a pessoa [que atirou] nem saiba o que fez", destacou.

Atingido por bala perdida há 1 ano, Alexandre Farias se recupera do incidente no Recife

Alexandre atualmente mora em um apartamento da família, na capital pernambucana. O imóvel fica próximo das casas dos parentes, dos hospitais e clínicas. No local, ele contou que os últimos meses têm sido de muita reflexão.

"Eu pude ver com quem e como eu posso contar, seja família ou amigos. Não foi um período fácil, mas eu estou vencendo. Entendo que é um processo lento, mas eu estou otimista. Eu já vejo resultados positivos na minha recuperação", ressaltou o jornalista.

"Nenhum médico me disse que eu não vou andar mais. Nenhum médico me disse que eu vou deixar de falar. Nenhum médico me disse que eu deixaria o ABTV. Ninguém. Eu estou super confiante", Alexandre Farias.

Ao G1, ele detalhou o que lembra do dia em que foi atingido pela bala. "[Na hora do tiro] eu apaguei. Eu só lembro que saí da TV, peguei o carro e fui para casa. Depois disso, só lembro do barulho dos aparelhos no hospital. Passei um período desacordado e outro acordado".

Alexandre Farias está se recuperando do incidente no Recife — Foto: Joalline Nascimento/G1

Alexandre Farias voltou a tomar 100% da consciência ao acordar após a realização da cranioplastia. "Acordei com uma torcida na minha frente. Eram os médicos, um batalhão que trabalhou por mim. Quando eles disseram: 'Alexandre?'. Eu respondi: 'Oi!'. Depois eles deram um grito. Parecia que eu tinha feito um gol. E foi um gol, mas de consciência. Eles tinham visto que a cirurgia tinha dado certo, que a prótese tinha funcionado", recordou.

O jornalista disse que está consciente e não esqueceu de ninguém. Ele se lembra quem são os cinegrafistas, produtores e demais amigos da TV Asa Branca, sua segunda casa e família, como ele gosta de dizer. "Sei onde fica a TV, no [bairro] Pinheirópolis, sei que na frente tem a rodoviária, sei onde moro, da minha infância, que vivi e cresci na cidade de Escada e que depois vim para o Recife, sei que sou jornalista e que estou à frente do ABTV 2ª Edição", afirmou.

Alexandre explicou que tem passado por muitas etapas e que todas elas têm sido muito dolorosas. No entanto, ele está visando o bom resultado do tratamento. O jornalista está sendo acompanhado por uma fisioterapeuta, que faz sessões diárias de uma hora de duração, um psicólogo, fonoaudiólogo, nutricionista e clínico geral.

"O pensamento positivo das pessoas e as orações se transformaram em coisas boas, em energias boas para mim. Por isso que eu estou aqui. Foi isso que me impulsionou a querer vencer", Alexandre Farias.

Alexandre Farias junto do irmão, da amiga (esq.) e da prima (dir.) — Foto: Joalline Nascimento/G1

Aos poucos, Alexandre tem ligado para os amigos, que são muitos, e para as pessoas que o ajudaram no momento em que ele foi ferido pelo disparo. Para ele, é importante agradecer a todos. "Eu estou vivo e sou um milagre de Deus. Sei que Deus fez um milagre na minha vida. Eu tento agradecer a todas as pessoas. Aproveito para falar aqui: Obrigado, gente. Obrigado mesmo".

No dia em que Alexandre recebeu, pela primeira vez após a alta, uma equipe de reportagem para falar sobre o incidente, ele estava acompanhado do irmão, José Santos Júnior, do sobrinho, Igor, e da amiga, Marcia Queiroz. Assim como o período em que esteve no hospital, o jornalista não fica sozinho no apartamento, estando sempre com duas ou mais pessoas.

Do G1/Caruaru (Veja a Reportagem Completa AQUI)