CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES

JAQUES

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

sábado, 8 de setembro de 2018

Candidato ao Governo de Pernambuco lamentam atentado contra Bolsonaro


Após o presidenciável pelo PSL, o deputado federal Jair Bolsonaro, ser atingido por golpe de faca durante ato de campanha em Juiz de Fora (MG), candidatos pernambucanos lamentaram e expressaram mensagens de repúdio à violência. Pelas redes sociais, os políticos também pressionaram por um inquérito minucioso sobre a agressão sofrida pelo deputado.

“Atitudes extremas e de ódio, como a ocorrida hoje (ontem) em Minas Gerais, não podem ser admitidas pela sociedade brasileira. Lamentamos o atentado sofrido pelo candidato Jair Bolsonaro, prestamos nossa solidariedade e reafirmamos nosso compromisso com a democracia”, lamentou o governador e candidato à reeleição Paulo Câmara (PSB) em sua conta do Twitter.

O senador Armando Monteiro (PTB), candidato ao governo – que tem o PSL, partido de Bolsonaro, na sua coligação –, também utilizou a internet para se manifestar e classificar o atentado como inaceitável. “Espero que o candidato se recupere. A democracia se apoia num diálogo pacífico permanente. Violência e eleições não se misturam. Campanhas são disputas legítimas entre adversários. Não se trata de uma guerra sem lei entre inimigos”, afirmou. 

Além desses dois já citados, os candidatos ao Palácio do Campo das Princesas Julio Lossio (Rede), Danielle Portela (PSOL), Maurício Rands (PROS) e Simone Fontana (PSTU) também divulgaram mensagens de repúdio ao atentado contra Bolsonaro. “Independente de como cada pessoa pense, merece ser respeitado. Precisamos discutir os problemas do Brasil. Precisamos ganhar as eleições com propostas e não com violência”, disse Lossio em um vídeo divulgado nas suas redes sociais. 

Danielle, por meio de uma nota, também condenou o ataque. “Precisamos fazer um convite à reflexão de toda a sociedade para a tolerância e respeito com as divergências políticas”. Já o candidato pelo PROS, Maurício Rands, afirmou que o debate político “deve ser conduzido no campo da divergência das ideias”. 

Simone utilizou mesma nota divulgada pela candidata à Presidência Vera Lúcia (PSTU), para se pronunciar. “Esse discurso (de ódio) acaba por estimular este tipo de atitude da qual ele agora é vitima, embora não a justifique.” 

Os postulantes que disputam as vagas no Senado também se solidarizaram com o momento e se manifestaram contra o ataque. O senador Humberto Costa (PT), que concorre à reeleição pela Frente Popular de Pernambuco, lamentou e propôs que o próprio Bolsonaro repensasse sobre “seu discurso de ódio”. “Lamento profundamente esse episódio. É absolutamente reprovável que diferenças políticas e ideológicas sejam tratadas com uso da violência. Que o próprio Bolsonaro repense seu discurso de ódio e tenha a consciência do quão nocivo é o estímulo a isso”. 

Também coligado à chapa encabeçada por Paulo Câmara, o deputado federal Jarbas Vasconcelos (MDB) se pronunciou em sua página no Facebook contra qualquer tipo de violência e disse que “a agressão contra Bolsonaro atinge nosso regime democrático”.

Os candidatos ao Senado da coligação Pernambuco Vai Mudar – Mendonça Filho (DEM) e Bruno Araújo (PSDB) – também se manifestaram em suas contas virtuais. Bruno declarou que a “violência é absurda” e cobrou uma investigação sobre o fato. “Que o responsável pelo crime seja punido exemplarmente pela Justiça”, disse o tucano. Já Mendonça comentou que é “lamentável que a intolerância no Brasil esteja se sobrepondo ao exercício democrático da liberdade de opinião, de divergir, de ir e vir”, disse o ex-ministro.

Via PE Notícias