CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES

JAQUES

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

segunda-feira, 23 de julho de 2018

Dupla é presa com R$ 15 mil em notas falsas no interior de Pernambuco

Dois homens foram presos em flagrante portando R$ 15 mil em cédulas falsas. A dupla foi presa pela Polícia Militar na cidade de Cachoeirinha, no Agreste pernambucano, a 166 quilômetros do Recife. Os comerciantes Luiz Rodrigues de Lima, 65 anos, e Thyago Henrique Lopes Pereira, 21, foram autuados na sede da Polícia Federal, no Recife. 

A Polícia Militar recebeu uma denúncia de que um comerciante havia recebido uma nota de R$ 100 falsificada em seu estabelecimento comercial. Com as informações e características físicas dos suspeitos, os PMs saíram em buscas e localizaram o carro onde eles estavam, um VW Gol, de placa PCB 6944. Encontraram o primeiro suspeito, Thyago, na localidade de conhecida como Curral do Gado e localizaram o veículo, efetuando sua a prisão.  

Luiz foi preso em seguida, quando retornou ao mesmo local. Ao serem feitas buscas dentro do carro dos suspeitos, os militares encontraram no forro R$ 15 mil em notas falsas e também cerca de R$ 1,8 mil, aparentemente verdadeiro, além de alguns produtos e frutas comprados no comércio com o dinheiro falsificado. 

A dupla foi trazida para a sede da Polícia Federal no Recife, onde prestou depoimento. Em seu interrogatório, Luis informou que há dois meses comprou pela segunda vez por R$ 2 mil R$ 10 mil em notas falsas de uma pessoa em Agrestina, interior pernambucano. No entanto, ele não forneceu maiores detalhes. Disse também que se aliou a Thyago para ambos repassar as notas nos comércios locais do interior do estado. Cada nota de R$ 100 que Thyago conseguisse repassar obtendo o troco, ganharia a importância de R$ 20. 

Luis disse também que já havia repassado as notas nos comércios das cidades de Lajedo, São Caetano, Vitória de Santo Antão e Bezerros. O veículo apreendido foi alugado por Luis para que ambos se deslocassem do Recife para o interior com o objetivo de repassar as notas falsas. Após a autuação, os presos realizaram Exame de Corpo de Delito no Instituto de Medicina Legal, em Santo Amaro, e em seguida foram encaminhados para a audiência de custódia, onde ficarão à disposição da Justiça Federal de Pernambuco.

Os dois foram autuados em flagrante pelo crime contido no artigo 289, § 1º do Código Penal – (adquirir, repassar ou guardar moeda falsa), e caso sejam condenados poderão pegar penas que variam de 3 a 12 anos de reclusão, além de multa. 

ESTATÍSTICAS EM PERNAMBUCO

EM 2018 REGISTRAMOS OS SEGUINTES RESULTADOS:

3 apreensões significativas;

R$ 32,7 mil; 

4 presos;

EM 2017 REGISTRAMOS OS SEGUINTES RESULTADOS:

5 apreensões significativas;

R$ 49, 9 mil;

7 presos;

EM 2016 REGISTRAMOS OS SEGUINTES RESULTADOS:

2 apreensões significativas;

R$ 11,6 mil;

2 presos;

A maior apreensão realizada pela Polícia Federal no Estado de Pernambuco aconteceu em 14 de setembro de 2009, por meio da “Operação Contenção”, realizada nas cidades de Canhotinho, Agrestina e Caruaru, interior de Pernambuco. Na época, foram presas 4 pessoas e apreendidas R$ 44,9 mil em notas falsas.

ALERTA DA POLÍCIA FEDERAL SOBRE NOTAS FALSAS:

A Polícia Federal em Pernambuco tendo em vista a aproximação das festas de fim de ano e do comércio aquecido em eventos tais como: Carnaval, São João, e as de fim de ano Natal e Ano Novo, principalmente nas cidades do interior, em eventos, shows e casas noturnas, quando se percebe que a movimentação e aglomeração de pessoas no comércio é crescente atraindo assim grande circulação de dinheiro, alerta a população para redobrar o cuidado com relação ao perigo de recebimento de notas falsas.

Em tempos de liquidações e queima de estoque o consumidor e comerciantes devem ficar atentos na hora receber valores em dinheiro porque uma das grandes táticas utilizadas pelos criminosos é usar notas de valores altos para comprar itens baratos, em busca do troco. 

Algumas pessoas já passaram pela situação constrangedora de serem informadas pelo caixa do banco ou do comércio que o dinheiro usado para pagar é falso. Muitas dessas falsificações são bem grosseiras e de fácil identificação, mas nem sempre é assim; algumas exigem uma análise mais detalhada, para que seja constatada a fraude.

Se uma pessoa recebe uma nota falsa quase sempre vai ter de arcar com o prejuízo, porque não existe uma legislação que garanta a troca por dinheiro verdadeiro. Se o saque for feito em caixa eletrônico, a recomendação é que o consumidor tire um extrato que comprove o saque e procure o gerente da agência afim de que possa haver um entendimento mútuo acerca do ressarcimento dos valores.

Quem receber uma nota falsa nunca deve passá-la adiante com o objetivo de livrar-se do prejuízo – pois poderá ser preso em virtude de incorrer no mesmo crime. A nota falsa deve ser entregue a um banco, que a encaminhará ao Banco Central ou procurar a Polícia Federal para que seja iniciada uma investigação.

Via PE Notícias