CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES

JAQUES

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Quando saio da minha sala, me fortaleço, diz Temer em ato-relâmpago no Sertão pernambucano


O presidente Michel Temer (MDB) visitou as obras da transposição do rio São Francisco nesta sexta-feira (03) e acionou as bombas da terceira bombeamento do eixo leste, na cidade de Salgueiro, no Sertão de Pernambuco.

Em um ato para cerca de 150 pessoas, com um público restrito a operários e políticos, Temer afirmou que irá percorrer o país nos últimos meses de seu mandato, que se encerra em 31 dezembro.

“Quando saio da minha sala e venho para cá, eu me engrandeço, me fortaleço. A gente vê o que é o Brasil e suas potencialidades”, afirmou Temer em um discurso que duraram cinco minutos.

Em seu discurso, Temer afirmou que, quando assumiu o governo, as obras da transposição estavam paralisadas e coube a sua gestão retomar os trabalhos no eixo leste e no eixo norte.

“Tive o prazer de acionar as bombas no eixo leste e ver a água chegar na Paraíba. É uma emoção extraordinária acionar aquele botão e ver aquela enxurrada, aquela enchente de água aqui no Nordeste do país”, afirmou.

O presidente prometeu a conclusão das obras da transposição até o final deste ano, quando deverá ser finalizado o eixo norte que levará água para o Ceará. Temer desembarcou às 11h em Salgueiro, onde ficou cerca de 40 minutos. Percorreu trechos dos canais e acionou o novo conjunto de bombas do eixo leste.

O evento, realizado em um ponto isolado dos canteiros de obras da transposição, não mobilizou a população local. Nenhum dos governadores nordestinos compareceu ao evento, incluindo o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB).

Ao encerrar o discurso, Temer posou para fotos com operários, que reclamaram de salários atrasados do contrato com o consórcio Emsa, que abandonou este trecho da obra em abril e teve o contrato rescindido em maio deste ano. Outra parte dos operários, desmobilizados há cerca de quatro meses, protestava nas margens de uma rodovia federal na entrada de Salgueiro.

Via PE Notícias