CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES

JAQUES

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Bombeiros salvam bebê em Olinda, por meio de orientação telefônica


Em pleno Dia das Mães, o Corpo de Bombeiros de Pernambuco conseguiu evitar uma trágedia. Através de orientação telefônica, o soldado Onireves Timóteo da Silva conseguiu reverter o sufocamento de um bebê de sete meses, que já estava cianótico e quase desacordado. "Foi um milagre. Graças aos bombeiros, deu tudo certo", diz emocionada Vitória Alves de Freitas, de 17 anos. Vitória é tia do do pequeno Heitor e foi quem realizou as manobras ensinadas à distância.

O acidente aconteceu por volta das 10h da manhã deste domingo, na rua Castro Alves, sem número, no bairro de Águas Compridas, em Olinda. Como de costume, a mãe de Heitor, Maria, de 15 anos, estava dando banho no bebê. Ela colocou a banheira sobre a mesa da cozinha e ensaboou o corpo e o rostinho da criança. "Ela não percebeu que ele estava com muito catarro, e na hora em que foi jogar água, Heitor levantou a cabeça de repente e o líquido entrou pelo nariz", descreve Vitória. 

O bebê sufocou e não conseguia mais respirar, e as pessoas presentes na casa começaram a entrar em desespero, incluindo a mãe e a avó. Foi quando Vitória resolveu ligar para o Corpo de Bombeiros e passou a receber instruções do soldado Onireves Timóteo da Silva. "Me falaram para colocar Heitor de cabeça para baixo e dar cinco tapas nas costas dele. Em seguida, deitei ele de bruços e ele começou a cuspir líquido", relembra a tia. 

Calma e rapidez foram essenciais 

Segundo Vitória, a rapidez no socorro foi fundamental. "Além de orientar por telefone, eles mandaram uma viatura lá para casa. Não levou nem quinze minutos. De lá, minha mãe, a avó de Heitor, foi com eles para a UPA da PE-15, onde Heitor já chegou melhor e teve alta em pouco tempo", prossegue. 

Vitória destaca a importância de se manter a calma nas situações de urgência. "Eu podia ter perdido meu sobrinho, e ia ser o Dia das Mães mais triste de todos. Mas, graças a Deus, consegui salvar a vida dele, e só tenho a agradecer ao Corpo de Bombeiros pelo livramento", comemora.


Via FolhaPE