CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES

JAQUES

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

segunda-feira, 26 de março de 2018

Depois de votar a favor do impeachment de Dilma, Kaio Maniçoba precisará de muita sorte para se reeleger deputado federal

Kaio Maniçoba ao lado do governador Paulo Câmara, diz que Temer tem prestigiado Pernambuco.

Perto de findar sua passagem pela Secretaria Estadual de Habitação, Kaio Maniçoba que, ainda, encontra-se filiado ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB) precisará de muita sorte para tentar se reeleger deputado federal, nas eleições deste ano.

Em 2014, Maniçoba conseguiu ascender ao mandato federal com apenas 28.585 votos, pela coligação “Juntos pelo Imposto Único”, capitaneada pelo PSDC, PTN, PRP, PSL, PRTB e PHS, que era o seu partido na época.

Por outro lado, obter 100 mil votos será o desafio de Kaio Maniçoba, que diferente do que aconteceu na eleição passada, poderá não conseguir se reeleger, no cenário de instabilidade política que passa a Frente Popular.

Outro motivo é que, Maniçoba foi um dos parlamentares que votou favoravelmente ao impeachment da ex-presidenta, Dilma Rousseff (PT). No seu reduto eleitoral – cidade de Floresta (PE) – a maioria dos eleitores foram contrários ao impedimento da petista.

O curioso é que logo após votar a favor do impeachment, sua base política no estado rachou com o presidente Michel Temer (MDB), por meio do Governador Paulo Câmara (PSB).

Em maio do ano passado, após a queda de Dilma, ambiguamente, Maniçoba disse: “O grande serviço que ele (Michel Temer) poderia dar ao país era se afastar do cargo de Presidente neste momento”.

Entretanto, em Floresta, em janeiro do mesmo ano, o aliado de Paulo Câmara afirmou: “Pernambuco é um estado muito prestigiado por Temer. O governo tem quatro ministros pernambucanos e hoje o Estado tem um volume muito maior de obras do que vinha tendo há um ano. Acho que o presidente Lula (PT) teve um olhar voltado para o Nordeste, mas desprestigiar o que o presidente Temer vem fazendo por Pernambuco é oposição por ser oposição”.

Nos bastidores, fala-se que o aliado de Paulo Câmara deverá mudar de legenda antes do fechamento da “Janela Partidária”, que ocorre em 7 de abril, para poder tentar a reeleição por uma chapinha. Sua mudança partidária, para uma legenda nanica, será um ato de sobrevivência, segundo fontes do Palácio do Campo das Princesas.

“Apesar do que tem dito alguns colunistas da capital, a situação de Kaio Maniçoba é muito complicada. Ele deverá estar trocando de partido nesses próximos dias, pois, dificilmente conseguirá alcançar 100 mil votos nas eleições”, disse um interlocutor político, em reserva.

Via Blog Robério Sá