CLIMAGEM

CLIMAGEM

BANNER MORIÁH

BANNER MORIÁH

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Moradores ameaçados pela justiça das Comunidades Bem Querer de Baixo, Bem Querer de Cima e Cacheado emite Nota de Repúdio à Câmara de Vereadores de Jatobá, PE


Nesta terça-feira (16/01) membros das comunidades Bem Querer de Baixo, Bem Querer de Cima e Cacheado, ambas ameaçadas com ação de integração de posse e localizadas na Zona Rural de Jatobá, no Sertão de Pernambuco, entregaram à Câmara Municipal de Vereadores de Jatobá, uma Nota de Repúdio, repudiando atitudes da Casa Legislativa em relação ao uso Tribuna de membros da comunidade e apoio a fato ocorrido por moradores das comunidades durante sessão ordinária. 

Acompanhe a Nota de Repúdio na íntegra:

NOTA DE REPÚDIO

Excelentíssimo Senho Presidente da Câmara Municipal e demais vereadores de Jatobá/PE.

Nós das Comunidade de Bem, Querer de Baixo; Bem Querer de Cima, Caldeirão e Cacheado, vimos manifestar nosso repúdio à atual forma que esse legislativo vem tratando essas famílias, com fatos a seguir descritos: 

Desde o início do ano de 2017, o medo começou a aterrorizar a vida das famílias, pois houve uma ordem do Juiz Felipe Mota, da 38ª Vara Federal, expedindo  mandado de desocupação da área. Apesar da Federal, expedindo mandado de desocupação da área. Apesar da consciência de que precisam sair do local, as famílias estão vivenciando vários dilemas: O primeiro é que aguardam a indicação do INCRA sobre as terras em que irão ser assentadas; o segundo é que consideramos a indenização proposta pela FUNAI injusta e totalmente fora da realidade da região; e o terceiro é que nenhum dos dois órgão reconhecem os direitos da totalidade das famílias, isto é, dizem que o número de pessoas que serão reassentadas e receberão recursos indenizatórios é bem menor. Todos do conhecimento de vossas senhorias.

Diante do exposto foi solicitado a voz da tribuna na Câmara Municipal, como qualquer cidadão, de forma legal, com o objetivo de expor os últimos acontecimentos, e como um grito de socorro pedir ajuda para resolução satisfatória para todos os envolvidos.

No dia 05 de setembro de 2017, várias pessoas das comunidade marcaram presença de forma ordeira e a sessão aconteceu. Mais pra surpresa de todos o CIMI - Conselho Indigenista Missionário, publicou uma matéria mentirosa dizendo que os participantes das comunidades fizeram desordem na sessão da Câmara.

Com a certeza de que a vitória só acontece com lutas, voltamos a Câmara no dia 03 de outubro de 2017, para pedir um moção que falasse o que aconteceu na sessão citada pelo CIMI, onde não houve nada de anormal e que fomos de forma pacifica e ordeira. Os vereadores se comprometeram a fazer a moção e enviar para o CIMI. No entanto até o momento não temo conhecimento desta moção e assim continuamos coma indignação da imagem mentirosa da matéria.

No dia 15 de dezembro de 2017, mais precisamente ás 11h55, solicitamos novamente a voz na tribuna com antecedência das 48 horas da sessão. Quando chegamos lá no dia 19, fomos informados que não poderíamos fazer uso da tribuna, pois teriam vários assuntos naquela sessão e espantosamente o Vereador Eduardo Júnior, disse que ficou até aproximadamente às 13h00 e o requerimento não tinha sido entregue, ficando acordado entre os vereadores presentes que na terça-feira, dia 26 de dezembro de 2017, iriam fazer uma sessão Extraordinária, assegurando assim a nossa voz na tribuna.

No dia escolhido ligou o presidente da câmara informando que a sessão não aconteceria pois alguns vereadores estavam viajando, impossibilitando de haver a sessão naquela noite e esperássemos até fevereiro do ano de 2018. No entanto, para nosso espanto, no mesmo dia vários vereadores foram vistos na cidade.

Diante dos fatos narrados, nós sentimos lesados pela falta de clareza nas informações prestada pela casa. É sentimento comum dos moradores das comunidades ora citadas o desprestígio por esta Câmara ao assunto solicitado, em um momento tão difícil e marcante em nossas vidas, ficamos sem entender porque não podemos mais uma vez pedir a moção para que a verdade seja dita aos quatros ventos.

Por esses motivos repudiamos a falta de respeito e compromisso da Câmara de Vereadores com as nossa comunidades, ora cidadão jatobaenses e que cada dia vivem e trabalham para fazer este município cada vez melhor.

Jatobá PE, 16 DE janeiro de 2018.

Moradores das Comunidades de Bem Querer de Baixo, Bem Querer de Cima e Cacheado.



Redação do Blog Petrolândia Notícias
Informações: Membros das Comunidades