CLIMAGEM

CLIMAGEM

TRINDADE MÓVEIS

TRINDADE MÓVEIS

JAQUES

JAQUES

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Entidades lançam comitê em defesa da candidatura de Lula

Lula em caravana pelo Rio de JaneiroFoto: Ricardo Stuckert/Divulgação

Com o intuito de reforçar a defesa do ex-presidente Lula, que será julgado na segunda instância da Justiça no próximo dia 24, lideranças sindicais, movimentos sociais, militantes e artistas lancarão, nesta quinta (11.01), o “Comitê metropolitano em defesa da democracia e do direito de Lula ser Candidato a presidente”. A iniciativa faz parte de uma articulação nacional e tem o objetivo de “organizar a distribuição de adesivos de carros, panfletos e praguinhas, além de conteúdo de redes sociais para a campanha”.

Durante o lançamento do comitê, que acontece às 18h no Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe), também será organizada uma programação de atividades a serem desenvolvidas em toda a Região Metropolitana do Recife. Além disso, será realizada uma plenária da Frente Brasil Popular, que agenda atos para o próximo dia 13. Em Olinda, haverá saída da Troça carnavalesca Sapo Barbudo, em homenagem irreverente a Lula. Nos dias 23 e 24, dia do julgamento do petista, serão realizadas atividades na Praça Tiradentes, no Bairro do Recife.

Julgamento
Lula é acusado de recebimento de propina na aquisição do tríplex do Guarujá, em São Paulo, que teria sido repassado ao petista pela empreiteira OAS, em troca de benefícios em contratos com a Petrobras. Ele já foi condenado pelo juiz Sergio Moro, responsável pelos casos da Lava Jato na primeira instância e, agora, cabe ao TRF-4 decidir sobre o caso.

Já existe um entendimento no próprio STF de que os condenados na segunda instância já podem ser presos. No entanto, Lula ainda pode tentar manter sua candidatura presidencial de pé, mesmo condenado, até o esgotamento dos recursos. Entre petistas, cresce a tese de que o ex-presidente deve manter sua postulação até o prazo final para troca do nome da chapa majoritária, que se encerra em setembro. 

Entenda o processo:



Fonte: FolhaPE