CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CHURRASCARIA E HOTEL NILSON

CLIMAGEM

CLIMAGEM

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

sábado, 6 de janeiro de 2018

Banco do Brasil inicia nova fase da reestruturação a partir de hoje

Agência do Banco do Brasil em Petrolândia/Foto: Alex Santos

O Banco do Brasil inicia hoje (06.01) uma nova etapa da reestruturação. Mais enxuta que a anterior, a reformulação terá foco no remanejamento de pessoal entre as diversas praças para reforçar o atendimento aos clientes onde há maior demanda. Os empregados que aceitarem a mudança receberão um incentivo financeiro para o deslocamento e, em alguns casos, podem ser até promovidos.

Como incentivo, os funcionários da instituição financeira podem receber um aumento de salarial de 60%, por um ano, para mudar de praça. Esse incentivo valerá para quem se transferir para os 150 municípios que a instituição definiu como estratégicos.

Além disso, o banco público reforçará o atendimento em escritórios especializados para pessoa física, pessoa jurídica e para o agronegócio. Serão abertas 86 unidades digitais para pessoa física e 40 agências físicas para atendimento a empresas.

O banco quer aumentar em 1.267 o número de gerentes e assistentes especializados nos segmentos pessoa física, empresas e do agronegócios, o que possibilitará que 800 mil novos clientes passem a ser atendidos pelos modelos digitais do BB.

O presidente do BB, Paulo Rogério Caffarelli, detalha que o processo iniciado hoje é diferente do que ocorreu no fim de 2016. Conforme ele, naquela oportunidade a meta do banco era reduzir despesas. Com isso, houve o desligamento incentivado de 9.408 empregados e o fechamento de 402 agências. Caffarelli explica que agora a medida quer aperfeiçoar o atendimento aos clientes, sem o aumento de despesas.

A instituição financeira ainda criará três centrais de atendimento em Recife (PE), Ribeirão Preto e Florianópolis (SC) para demandas de clientes e para dúvidas de funcionários em agências. “Também vamos reforçar as equipes onde o atendimento está estrangulado, com remanejamento de empregados”, destaca Caffarelli.

Além disso, o presidente do BB ressalta que não haverá qualquer demissão. “Nossa meta de saída de funcionários é zero. Não queremos que nenhum funcionário saia do banco”, diz. Após a conclusão desse processo de remanejamento de pessoal, previsto para ocorrer em até três semanas, a instituição financeira validará o Plano de Adequação de Quadros, exclusivo para o excedente de empregados de algumas praças.

Os pedidos de desligamento incentivo serão realizado entre 8 e 26 de janeiro. Somente após o resultado do remanejamento é que as solicitações serão ou não atendidas. O BB pagará até 10 salários bases por empregado, com teto de R$ 200 mil. Esse valor considerará a indenização, a multa rescisória, aviso prévio e ressarcimento do plano de saúde.

Via PE Notícias