CLIMAGEM

CLIMAGEM

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

LOJA FRANCK ELETRO

LOJA FRANCK ELETRO

DRA. ANA CLÁUDIA XAVIER - FISIOTERAPEUTA

DRA. ANA CLÁUDIA XAVIER - FISIOTERAPEUTA

FRIGORÍFICO J & R CARNES & CIA

FRIGORÍFICO J & R CARNES & CIA

Italínea

Italínea
BREVE EM PETROLÂNDIA

PANIFICADORA DOCE PÃES

PANIFICADORA DOCE PÃES

CHURRASCARIA COME-SE BEM

CHURRASCARIA COME-SE BEM

SENHORINHA GÁS

SENHORINHA GÁS
O GÁS MAIS BARATO DA CIDADE

LOJA D' BRUM

LOJA D' BRUM

CLÍNICA ODONTOLÓGICA ANTÔNIA LOPES

CLÍNICA ODONTOLÓGICA ANTÔNIA LOPES
CIRURGIÃO DENTISTA DR. FÁBIO LOPES

CLÍNICA E LABORATÓRIO 'JAQUES'

CLÍNICA E LABORATÓRIO 'JAQUES'

POSTO DR COMBUSTÍVEIS

POSTO DR COMBUSTÍVEIS

LANCHONETE PATRIOTA

LANCHONETE PATRIOTA

NEGUINHA SALGADOS

NEGUINHA SALGADOS

Dra. MARIA RAPHAELA COUTO

Dra. MARIA RAPHAELA COUTO

DR. ÉRICO HEBERT

DR. ÉRICO HEBERT

DR. JEFFERSON TÉCIO

DR. JEFFERSON TÉCIO

FRIGORÍFICO JB

sábado, 16 de setembro de 2017

Tacaratu e mais sete municípios recebem oficinas sobre associativismo promovidas pelo ProRural


O ProRural realizou, até essa sexta-feira (15.09), oficinas sobre associativismo com cada uma das 12 etnias indígenas acompanhados pelo Programa em Pernambuco. O objetivo foi preparar os grupos para que estejam organizados e prontos para receberem os recursos da entidade e de outros parceiros, mas também para aprenderem como deve ser realizada a gestão das suas associações.

Durante o dia de trabalho, os representantes dos povos assistiram palestra sobre as atribuições da Diretoria e do Conselho Fiscal das associações, apresentaram os objetivos estatutários de cada associação presente e depois confrontaram o que está escrito em seus estatutos, com as práticas das diretorias e demais sócios. O resultado do trabalho é mais autonomia e sustentabilidade dos grupos e das ações executadas pelos indígenas.

Para o presidente da Associação Indígena Taidjoah (Guerreiros prontos para à luta), Cícero Leite Machado, com o aprendizado levado pelo ProRural às aldeias, os grupos ficam mais preparados para tomarem decisões acertadas e cumprirem os objetivos para os quais foram criados. “Estamos formalizados há três anos e aprendemos hoje quais são as atribuições de cada membro da diretoria. É muito difícil para nós constituir e manter uma associação atuante sem conhecimento”.

A demanda por oficinas surgiu a partir da construção de um plano de ação, realizado com a ferramenta FOFA (Fortalezas, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças), com cerca de 70 indígenas do povos indígenas Fulni-Ô, Atikum, Pipipã, Kambiwá, Kapinawá, Tuxá, Pankará, Xucuru, Atikum, Truká, Entre Serras e Pankararu. O Plano de Ação elegeu as prioridades a serem trabalhadas e apoiadas pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária (SARA), entre elas as capacitações para fortalecimento das entidades.

Ao todo foram realizadas cinco oficinas com cada grupo, nos municípios de Águas Belas, Cabrobó, Inajá, Tacaratu, Pesqueira, Carnaubeira de Penha, Floresta e Buíque. O tema seguinte trabalhado com os índios foi “Gestão Financeira e Prestação de Contas”, que teve início na semana passada, e abordou assuntos como movimento e fluxo de caixa e preenchimento de cheques, entre outros.

Os indígenas são público específico e prioritário do ProRural e em projetos apoiados pelo Banco Mundial através do Projeto Pernambuco Rural Sustentável (PRS). O Programa, que busca promover a formação e fortalecimento de redes de cooperação, inovação e de experiências agroecológicas, também visa o desenvolvimento sustentável e ações relevantes para a inclusão sócio-produtiva e cultural dos grupos específicos como índios, jovens, mulheres, comunidades quilombolas.

Via Ascom