CLIMAGEM

CLIMAGEM

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Oposição em Pernambuco terá “prévias” para escolher candidato


Com a família Coelho agora no palanque da oposição, o bloco costura um acordo para que pesquisas definam o candidato que vai encabeçar a chapa contra o governador Paulo Câmara (PSB) nas eleições 2018. Seriam, digamos, “prévias” da oposição – com o perdão pela licença poética no uso do termo. Por esse acordo, todos os caciques da oposição são candidatos ao mesmo tempo até o começo de 2018, quando pesquisas definiriam o nome contra Paulo. O mês sugerido no grupo é janeiro.

Se a estratégia será seguida, os próximos meses dirão. No PSB, a crença é de que a coesão desse grupo tende a falhar por vaidade e projetos de poder distintos. Já na oposição, se diz que o desejo de derrotar o PSB une o grupo, a despeito de projetos pessoais.

A ideia das “prévias” é que todos aceitariam a impessoalidade dos números – intenção de votos e rejeição de cada um: ministros Mendonça Filho (DEM) e Bruno Araújo (PSDB), senador Armando Monteiro (PTB) e o ministro Fernando Filho (PSB), colocado no conjunto pelo pai, o senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB). Pela última pesquisa Uninassau, de abril, o nome seria Armando.

A eleição será em 12 meses. Mas já é campanha na oposição, em suas “prévias” para a escolha do candidato. Em 2016, o PMDB fez 17 prefeitos, 15 vice-prefeitos e 160 vereadores em Pernambuco. Em 12 municípios, ficou em segundo lugar. O partido tem hoje três deputados estaduais.

Por Giovanni Sandes