CLIMAGEM

CLIMAGEM

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

LOJA FRANCK ELETRO

LOJA FRANCK ELETRO

DRA. ANA CLÁUDIA XAVIER - FISIOTERAPEUTA

DRA. ANA CLÁUDIA XAVIER - FISIOTERAPEUTA

FRIGORÍFICO J & R CARNES & CIA

FRIGORÍFICO J & R CARNES & CIA

Italínea

Italínea
BREVE EM PETROLÂNDIA

PANIFICADORA DOCE PÃES

PANIFICADORA DOCE PÃES

CHURRASCARIA COME-SE BEM

CHURRASCARIA COME-SE BEM

SENHORINHA GÁS

SENHORINHA GÁS
O GÁS MAIS BARATO DA CIDADE

LOJA D' BRUM

LOJA D' BRUM

CLÍNICA ODONTOLÓGICA ANTÔNIA LOPES

CLÍNICA ODONTOLÓGICA ANTÔNIA LOPES
CIRURGIÃO DENTISTA DR. FÁBIO LOPES

CLÍNICA E LABORATÓRIO 'JAQUES'

CLÍNICA E LABORATÓRIO 'JAQUES'

POSTO DR COMBUSTÍVEIS

POSTO DR COMBUSTÍVEIS

LANCHONETE PATRIOTA

LANCHONETE PATRIOTA

NEGUINHA SALGADOS

NEGUINHA SALGADOS

Dra. MARIA RAPHAELA COUTO

Dra. MARIA RAPHAELA COUTO

DR. ÉRICO HEBERT

DR. ÉRICO HEBERT

DR. JEFFERSON TÉCIO

DR. JEFFERSON TÉCIO

FRIGORÍFICO JB

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Lula reencontra Moro para explicar terreno de instituto e apê no ABC

Quatro meses depois do primeiro depoimento na Justiça Federal de Curitiba, em processo que resultou na condenação por causa do triplex do Guarujá na Lava Jato, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva volta a ser interrogado pelo juiz Sérgio Moro nesta quarta-feira (13.09) na capital paranaense.

O encontro está marcado para 14h. Desta vez, o petista vai se defender da acusação de receber um apartamento em São Bernardo do Campo (SP) e um terreno para a construção do Instituto Lula da Odebrecht. Em troca, teria facilitado fechamento de contratos da empreiteira com a Petrobras.

Segundo a força-tarefa da Lava Jato, o terreno para o Instituto Lula custou R$ 12,5 milhões e a cobertura vizinha à residência de Lula em São Bernardo do Campo, R$ 504 mil. Embora a expectativa das autoridades seja a de que o depoimento desta quarta tenha proporções menores do que o anterior, a PM (Polícia Militar) do Paraná preparou um grande aparato de segurança para receber o petista. 

Nesta quarta-feira, serão cerca de 1.000 agentes nas ruas da capital paranaense — contra 1.700 agentes policiais deslocados para garantir a segurança no primeiro depoimento de Lula. A PM paranaense, porém, não confirmou a quantidade exata de agentes que estarão nas ruas.

Segundo a Direção do Foro da Justiça Federal do Paraná, os prazos processuais e o expediente da Subseção Judiciária de Curitiba na data serão mantidos, mesmo com o depoimento. O ex-presidente se negou a prestar depoimento por videoconferência e por isso reencontrará Moro frente a frente.

A expectativa é que haja aglomeração nas redondezas da Justiça Federal e, por isso, a PM vai impedir o acesso na área externa do edifício, com exceção de moradores da região e da imprensa. Também espera-se que movimentos sociais se reúnam no local para dar apoio ao ex-presidente. 

Existe a expectativa de que o ex-presidente faça um pronunciamento na praça Generoso Marques após o depoimento a Moro. A quantidade de militantes, porém, deve ser bem menor que aquela registada em maio. A praça está a 4 km de distância da Justiça Federal de Curitiba.

Esta é a segunda vez que Lula depõe a Moro. A primeira também aconteceu em Curitiba, em maio deste ano, quando o petista prestou esclarecimentos sobre triplex no Guarujá. O ex-presidente foi condenado a 9 anos e 6 meses de prisão nesta ação, em primeira instância. A defesa apelou conta à condenação e o recurso está tramitando no TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), em Porto Alegre.

Via PE Notícias