CLIMAGEM

CLIMAGEM

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

CONVENIÊNCIA BODEGA DA VILLA

domingo, 10 de setembro de 2017

Fernando Bezerra Coelho reforça PMDB na oposição em 2018


Porta-voz da nova frente de oposição que se forma em Pernambuco, o senador Fernando Bezerra Coelho disse ontem (08), em entrevista à Rádio Jornal, que o palanque contrário ao governador Paulo Câmara tem uma “perspectiva boa” de reunir os atuais ministros do governo Temer. E não descartou que seu filho, o ministro Fernando Filho, possa ser candidato a governador.

PMDB PE

“Desde o mês de junho, nós iniciamos tratativas no sentido de buscar uma nova opção partidária, a partir do processo que se deu no PSB, quando houve o fechamento de questão na apreciação das reformas no Congresso Nacional. Inicialmente nossas conversas estavam muito direcionadas em relação aos democratas. A partir do mês de agosto se abriu conversa com o PMDB. O primeiro contato meu com as lideranças nacionais se deu com o presidente do Senado Nacional, Eunício Oliveira. Ele colocou a alternativa do PMDB e pediu que tivesse uma conversa com o senador Romero Jucá, que é o presidente nacional do partido. Eu falei para ele que estava saindo do PSB e que esse era o caminho natural de formar uma frente de oposição ao atual governador (Paulo Câmara). Dessa frente política certamente iria participar os democratas, o PSDB, o PTB e outros partidos que ainda estão examinando essa possibilidade. Eu disse a ele que poderia haver uma dificuldade, pois o PMDB de Pernambuco tinha uma aliança com o governador Paulo Câmara, inclusive o vice-governador, que é o presidente estadual do PMDB, é secretário de Estado. Ele me pediu uns dias para fazer uma consulta aos membros da executiva nacional e aos líderes do partido em Pernambuco, para ver se a alternativa do PMDB seria viável. Uma semana após os primeiros contatos, ele, Romero Jucá, me retornou, e também o senador Eunício, e disse que as conversas com o deputado federal Jarbas Vasconcelos tinham sido positivas”.

JARBAS

“Eu me encontrei com Jarbas, em uma sessão do Congresso Nacional, e solicitei um encontro para que a gente pudesse conversar sobre a minha entrada no partido. Ele sugeriu um encontro (que se daria na terça-feira desta semana), mas como todos sabem ele ficou acometido de sinusite e não pôde ir a Brasília para essa conversa. Então eu liguei pra ele e disse que as conversas com o presidente nacional do partido tinham evoluído e avisei que iria me filiar na quarta-feira. Ele me cumprimentou e disse que conversaríamos na próxima semana. Ou aqui em Recife ou em Brasília. Quero deixar claro que fui convidado pela direção nacional do PMDB e que também tive o cuidado de que a direção nacional informasse os dirigentes de Pernambuco em que condições eu estaria entrando no PMDB”.

PAULO CÂMARA

“Isso não se deu no início do governo ou na metade. Todos sabem os desencontros que tivemos em relação a posicionamentos em nível nacional, quando da participação e formação do ministério do presidente Temer e do processo de escolhas do líder do PSB na Câmara Federal. Portanto, são essas situações que levaram a um afastamento e a uma ruptura. Foi uma série de ações tomadas pelo governador e pelo PSB”.

FILHO NA CHAPA

“Essa alternativa existe. Nesse processo queremos, com o apoio da direção nacional, preparar o partido para as disputas majoritárias. Seja no cargo de governador ou de senador. Entendemos que nesse diálogo é possível construir a candidatura ao Senado com o deputado Jarbas Vasconcelos. Mas vamos também defender, no conjunto dessa frente política que está em formação, o nome de um membro do PMDB para a disputa do governo de Pernambuco. Isso é um movimento que está sendo feito, não só em Pernambuco, mas também em outros Estados onde têm o PMDB. Nas próprias palavras do presidente nacional, ele vai preparar o partido para disputar um maior número de candidaturas a governador, ao Senado Federal para que o partido possa ter condições, se não em 2018, em 2022 apresentar um quadro para o cargo de presidente. Sobre Fernando Filho eu acho que ele é um quadro muito promissor pelo trabalho que vem desenvolvendo no Ministério de Minas e Energia, tendo o reconhecimento de amplos setores da área de energia, gás, petróleo, mineração e pelo importante trabalho de reestruturação para o desenvolvimento nacional. Creio que o nome dele estará posto dentro dessa frente política”.

PREFEITOS

“Eu não teria uma especulação de quem irá participar deste projeto. Seja prefeito ou ex-prefeito. O que eu quero registrar é que existe um clima de receptividade muito grande em todas as regiões do Estado. Muitas lideranças políticas, sejam lideranças que estejam no PSB ou fora, estão interessadas no sentido de criar um projeto alternativo ao que aí está. Ao longo dos próximos 5 ou 6 meses é que nós teremos resposta para isso. Mas eu estou muito animado, pois foram muito promissoras as tratativas sobre a disputa eleitoral do ano que vem e sobretudo a construção de uma proposta que possa animar os pernambucanos para a construção de um futuro melhor”.

INVESTIGADO

“Não sou só eu, vários outros estão sendo alvo de investigações também. Inclusive o governador Paulo Câmara, Geraldo Julio e outros dirigentes do PSB. Isso é normal. Eu acho que tudo tem que ser esclarecido. Quando os inquéritos forem encerrados, seja pela apreciação da própria PGR ou pelo STF, tenho absoluta certeza de que esse processo será arquivado”.

FUTURO

“Esse palanque será daqueles que tiveram coragem de fazer a mudanças que o Brasil estava reclamando. Nós estamos apostando nisso. A impopularidade do Michel Temer é passageira. Ano que vem o brasileiro vai decidir qual é o Brasil que ele quer construir. É isso que será debatido no ano que vem. Aqueles que vão defender a volta ao passado vão ter que responder por toda essa situação que o País mergulhou. E nós vamos defender as reformas que o Brasil teve coragem de enfrentar. A reforma trabalhista e a terceirização vão ensejar a contratação de mais de um milhão de brasileiros pelo regime terceirizados que todos criticavam. Recentemente a USP divulgou um estudo com mais de 13 milhões de trabalhadores mostrando que a terceirização, muito diferentemente do que as centrais sindicais diziam quando (a matéria) estava em votação no Congresso Nacional, ela não ‘precariza’ as relações de trabalho. Portanto, vai ser um bom debate e uma boa disputa. Porque a situação não é boa do ponto de vista econômico e do ponto de vista da segurança. Esse é um debate que vai fluir. Eu tenho a confiança de que essa frente política que está em construção, além de apresentar as melhores propostas, vai apresentar os melhores quadros para poder oferecer uma melhor perspectiva de futuro para toda gente pernambucana”.

TEMER DE NOVO

“Essa pergunta tem que ser dirigida a ele. Eu acho que o acervo de conquistas desse governo, que ele chama de governo de transformação, ou governo de transição, vai ser muito grande. Nós estaremos com uma economia crescendo a mais de 2,5%, teremos os juros mais baixos da história do País, teremos a volta do emprego, porque ao longo de 2018 teremos contratações de mais de um milhão e meio de brasileiros. Serão muitas conquistas que estarão sendo celebradas, o reencontro do Brasil com sua trajetória de crescimento. Isso será valorizado pela população quando for às urnas escolher seus dirigentes”.

CABE MAIS?

“Estamos conversando. O próprio Armando Monteiro teve a gentileza de participar do ato de filiação lá na presidência nacional do PMDB, como também o ministro Bruno Araújo. Temos conversado de forma muito próxima com o ministro Mendonça e com Raul Jungmann. Eu creio que existe uma perspectiva boa de todos os ministros do atual governo estarem juntos numa só frente política, como também o senador Armando Monteiro e outros. Nós estamos conversando com outros partidos que ainda estão na frente política do atual governador, mas que estão desejosos e animados em somar com suas propostas, contribuições e visões. Teremos essa frente política armada e decidida até março ou abril do próximo ano”.

Via PE Notícias